Porto Velho (RO) segunda-feira, 6 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Osmar Silva

COMO SERÁ A ELEIÇÃO DA ALE?


COMO SERÁ A ELEIÇÃO DA ALE? - Gente de Opinião

Novos ares estão renovando as esperanças dos brasileiros que acompanham, diariamente, as ações dos eleitos. De celular na mão, querem saber o que fizeram no dia. Os que não se comportarem republicanamente, serão os derrotados de 2022, se não forem para a cadeia antes.

Aqui em Rondônia, está em curso a eleição da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa. Até à última eleição, sempre foi um ato obscuro, corrompido, violador de práticas éticas e morais, e pior ainda: longe, muito longe de grau mínimo de transparência.

Os cabeças de chapa sempre agiram desonestamente comprando votos e confinando deputados/eleitores ‘negociados’ em hotéis, fazendas, cidades fora do estado além de outros artifícios ilegais que levaram o legislativo a um nível de corrupção insuportável.

Muitos deputados chegaram à Assembleia com a certeza de repor os gastos de campanha somente com a negociação do seu voto na eleição da Mesa da Casa. Muitos se lançaram candidatos à presidência só para valorizar mais ainda o seu voto.

Nesse jogo, vale tudo. Inclusive artifícios legais, como alteração da Constituição Estadual e do Regimento Interno para facilitar e dá concretude aos acordos impatrióticos. Como o que permite eleger, antecipadamente, a Mesa Diretora do segundo biênio da Legislatura no mesmo dia da eleição da primeira. É mole ou quer mais?

E por que fazem isso? Primeiro, porque pagam com o ‘nosso dinheiro’, não com o deles. Segundo, porque ser presidente da Assembleia Legislativa é um grande ‘negócio’. É ser o tesoureiro do segundo maior orçamento do estado, dá muito dinheiro. Além de influência em grandes negócios.

É por tudo isso que nestes 36 anos de existência e 11 presidentes, 5 já foram condenados pela Justiça: Marco Donadon, Natanael Silva, Carlão de Oliveira, Valter Araujo e Neodi Oliveira; Destes, 4 puxaram cadeia: Natanael, Carlão, Donadon e Valter. Neodi, teve direitos suspensos e Carlão, no momento, está foragido.

Não é a história que o nosso parlamento merece. Mas é a que alguns deputados protagonizaram enlameando a Casa do Povo.

E agora, como será?

Fala-se em 3 candidaturas que podem ser 4. A do deputado Lebrão, o mais votado e o mais velho da Casa; a do deputado Jean Oliveira, já experiente em seu 3º mandato; a do deputado Laerte Gomes e a do noviço Sargento Eyder Brasil, do PSL do governador Marcos Rocha e do presidente Jair Bolsonaro.

A disputa é boa e salutar se com transparência, lisura e honradez. Sem isso, que a sociedade exige, podem até ganhar hoje, mas pagarão pelo erro amanhã. Daqui a quatro anos. Ou antes.

O novo Palácio do Povo na Esplanada das Secretarias a ser inaugurado proximamente, espera um dirigente que o dignifique e não que o envergonhe, como fizeram alguns do passado recente.


Foto montagem do jornalista Carlos de Sá

OsmarSilva – Jornalista – Presidente da Associação da Imprensa de Rondônia – AIRON – Diretor/editor do noticiastudoaqui.com – WhatsApp 99265.0362  sr.osmarsilva@gmail.com

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Osmar Silva

Mundo de ponta cabeça

Mundo de ponta cabeça

Quem imaginaria ver as praças de Roma, os bares e as gôndolas de Veneza, os cafés de Paris, os estádios e as igrejas centenárias do mundo, vazias?

Tempos estranhos no Estado burro

Tempos estranhos no Estado burro

Estamos vivendo tempos estranhos. Saímos do governo do ‘dou um tostão, levo um milhão” e embarcamos noutro que vem protagonizando várias confusões. Em

Lixo, merda e água contaminada não é ‘missão de Deus’

Lixo, merda e água contaminada não é ‘missão de Deus’

- Governar é missão de Deus! Disse o governador de Rondônia, Marcos Rocha, em recente evento público. A sentença é correta, segundo os princípios cr

Imprensa e comunicação, o desafio

Imprensa e comunicação, o desafio

Diversos eventos movimentaram a imprensa e os comunicadores de Rondônia no segundo semestre do ano passado. Boas iniciativas de discussão e reflexão