Porto Velho (RO) sexta-feira, 21 de fevereiro de 2020
×
Gente de Opinião

Osmar Silva

Bendita professora Nair!


Bendita professora Nair! - Gente de Opinião

Meu prédio escolar tinha duas escolas: de manhã era Escola Osvaldo Aranha e à tarde era Escola 21 de Abril. Ficava numa praça onde a gente brincava antes e depois das aulas. Bem em frente da Prefeitura. O recreio era no pátio interno, sob o olhar da diretora e dos professores.

Qualquer bagunça ou briga, quando a gente se dava conta, já tinha alguém segurando nosso braço. E, dependendo do caso, o castigo vinha em forma de palmatória. Minha professora, Dona Nair, era a mais temida, não só pelo tamanho como pela a cara feia. Mas era uma negra de coração de ouro!

Meus estudos foram interrompidos quando terminei o 3º ano primário com a professora Nair. Bendito primário daqueles tempos! Bendita professora Nair que me ensinou tão bem e me preparou para a vida.

Um dia ela me disse: seu Osmar, você está preparado para fazer o exame de admissão. Não precisa esperar a 4ª série. Pode ir direto para a 5ª série. Era uma prova temida para entrar no ginásio. Mas a sorte, o destino, tudo ficou fora de lugar, com diz o cancioneiro. Não pude mais estudar.

Mas com este 3º ano primário virei jornalista aos 17 anos na rede dos Diários Associados de Assis Chateaubriand. Gerenciei empresas com trezentos empregados, fui diretor e editor de jornais diários. Exerci assessorias de reitores e organizações empresariais, dirigi e criei entidades culturais. E nos últimos quarenta anos, constitui empresas jornalísticas e jornais que entraram para a história de Rondônia e de Roraima. Ocupei funções pública de alta relevância em município e estado.

Bendita professora Nair! Bendito 3º ano primário!

E Bendito também, Telmo Padilha, escritor grapiúna de ‘Canto Rouco’, ganhador do Prêmio San Marco, da Itália. Meu amigo e orientador, com quem tive o privilégio de conviver, trabalhar e aprender. Foi ele que me levou até Jorge Amado, seu compadre, me dando a oportunidade de conversar, ouvir e, durante alguns dias, desfrutar da companhia de um dos mais célebres escritores brasileiros. O eterno criador de ‘Grabriela, cravo e canela’, ‘Tiêta do agreste’ entre tantos.

Bendito Telmo Padilha! Bendito Jorge Amado!

Com estes meus mestres, encerro esse breve relato e saúdo os professores de Rondônia e do Brasil, neste outubro, na esperança de que sejam uma professora Nair, um Telmo Padilha, um Jorge Amado para tantas crianças e adolescentes que carecem de luz segura para guia-los vida a fora.   


Osmar Silva – Jornalista – Presidente da Associação da Imprensa de Rondônia (AIRON) – [email protected] – WhatsApp 069.99265.0362   

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Osmar Silva

Tempos estranhos no Estado burro

Tempos estranhos no Estado burro

Estamos vivendo tempos estranhos. Saímos do governo do ‘dou um tostão, levo um milhão” e embarcamos noutro que vem protagonizando várias confusões. Em

Lixo, merda e água contaminada não é ‘missão de Deus’

Lixo, merda e água contaminada não é ‘missão de Deus’

- Governar é missão de Deus! Disse o governador de Rondônia, Marcos Rocha, em recente evento público. A sentença é correta, segundo os princípios cr

Imprensa e comunicação, o desafio

Imprensa e comunicação, o desafio

Diversos eventos movimentaram a imprensa e os comunicadores de Rondônia no segundo semestre do ano passado. Boas iniciativas de discussão e reflexão

Ética do cidadão e do político

Ética do cidadão e do político

E a política da prosperidade vence mais uma vez.