Porto Velho (RO) terça-feira, 21 de setembro de 2021
×
Gente de Opinião

Osmar Silva

Após décadas governador olha Porto Velho


Após décadas governador olha Porto Velho - Gente de Opinião

N

No início desta semana, ocorreu um fato institucional que alguém, não lembro quem, chamou de histórico. Me refiro à 1ª reunião de trabalho entre os governos municipal e estadual para a produção de uma agenda de trabalho em favor da Capital. Fiquei observando a repercussão que o evento provocaria. Percebi que, embora divulgado, não teve o destaque que mereceria. Na Câmara Municipal vereadores registraram e elogiaram da tribuna.

Não defendo festas nem queimas de rojão. Mas sejamos francos: quantas vezes vimos isso nas últimas décadas? Nesse período testemunhamos governadores distanciados dos problemas da maior cidade do estado. O povo teve a má sorte de eleger prefeitos e governadores incompatíveis politicamente. E todos perdemos. Enquanto cidades do interior se desenvolviam com qualidade de vida, a Capital se expandia pelas invasões e multiplicação de graves problemas sociais. Sem recursos para mitigar o sofrimento do povo.

Para completar o quadro de abandono, perdemos o poder político. Os governadores vieram de Rolim de Moura e de Ji-Paraná. Os parlamentares vieram de vários cantos de Rondônia. Embora Porto Velho seja o maior colégio eleitoral, sua representação política encolheu e quase desaparece. O portovelhense só lembra de Jorge Teixeira, o único governador que, verdadeiramente, se importou com a cidade. E lógico, de Chiquilito Erse, o prefeito mais operoso desde a criação do estado. Fora daí, a lembrança vai para uma ou outra ação pontual de um ou outro governador. Nada que mereça destaque. Os olhos, os recursos e o poder da caneta estavam voltados para o interior, onde se concentrou a força política.

Quem não lembra de Carlinhos Camurça herdeiro do mandato de Chiquilito se esgoelando nos palanques contra Ivo Cassol, por não colocar um tostão para ajudar o municipio?. Na eleição passada aliou-se ao seu algoz e naufragou de vez. E o eleitorado da Capital optou por Confúcio Moura. Este foi acolhido em Porto Velho porque soube acolher a dor de um povo abandonado. E lhes renovou a esperança.

Por isso, com um mês de governo, esse encontro para a realização de ações comuns em favor de Porto Velho e de sua gente, deve sim, ser comemorado e registrado como um fato verdadeiramente histórico. O primeiro em décadas. E vamos torcer para que o PT e o PMDB produzam bons frutos na Capital de Rondônia. Até porque o compromisso de Confúcio Moura com o povo desta cidade está acima dos partidos. E a cidade agora tem poder político.

Fonte:  Osmar Silva
Jornalista – DRT 1035
[email protected]            

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Osmar Silva

O Brasil está incendiado

O Brasil está incendiado

É isto mesmo! O Brasil está pegando fogo. E não é incêndio na floresta. É entre os poderes. A harmonia entre os três pilares da Democracia está romp

Retratos do Brasil – Para confundir qualquer um

Retratos do Brasil – Para confundir qualquer um

Temos na presidência do Brasil um ex-Capitão e ex-deputado federal, por cinco mandatos, apontado pela Oposição como anti-democrático, ditador e geno

Aleluia – Tempo de Esperança

Aleluia – Tempo de Esperança

Certo tempo atrás, no mundo onde fui criado e educado, o Sábado de Aleluia era o dia mais esperado e também o mais temido da Semana Santa. Um dia es

A hora, governador, é de atitude

A hora, governador, é de atitude

O coronel Marcos Rocha, governador de Rondônia, gravou e publicou neste sábado, 27, um vídeo para chamar a atenção do povo rondoniense à gravíssima