Porto Velho (RO) quarta-feira, 20 de novembro de 2019
×
Gente de Opinião

Osmar Silva

42º ANIVERSÁRIO – Um olhar sobre Ariquemes


42º ANIVERSÁRIO – Um olhar sobre Ariquemes  - Gente de Opinião

Quando entrei no salão do segundo piso do Banco do Brasil na tarde de quinta-feira do dia 3 de outubro deste ano de 2019, foi como entrar na cápsula do tempo e retornar ao passado. Lá reencontrei personagens encravadas na história contemporânea de Ariquemes e de Rondônia. Meus velhos companheiros do tempo em que todos éramos iguais nos sonhos, na luta e a política ainda não havia nos contaminado nem nos divididos.

Lembrei que no dia 11, desse mês de outubro, quando Ariquemes completa 42 anos de emancipação. Um ato ocorrido em 1977.

Enquanto as pessoas destacadas para falar no 40º aniversário de inauguração da agência do Banco do Brasil em Ariquemes em 1979, eu lembrava do bando de macacos que corriam na floresta naquele local, antes do banco se instalar em terreno numa larga faixa de terra entre duas avenidas recém-abertas: a Tancredo Neves e a JK que dividiam a cidade entre o Setor 1 e 3 de um lado e 2 e 4 do outro. Todos vivendo o processo de ocupação e construção.

Os discursos prosseguiam em comemoração, também, do Encontro Nacional dos Ex-funcionários do Banco do Brasil que, nesse ano, decidiram realiza-lo em Ariquemes para festejar junto com o aniversário da agência. E enquanto os olhos e ouvidos físicos testemunhavam a factualidade, os órgãos da memória viam e ouviam outros cenários e outros sons de outros tempos.


 


Lerson e o jornalista Alexandre - Gente de Opinião
Lerson e o jornalista Alexandre

Tempos em que a melodia do som da moto-serras e dos martelos, nos animava e alegrava. Tempos em que vi o hoje empresário imobiliário Lérson Sápiras e dona Magda, se revezando no caixa do Mercado Corbélia, coadjuvados pelo casal de filhos, ainda crianças. Ele, mais que ela, comprando mercadorias e produtos daqui e de lá do Sul, talvez da cidade de Corbélia, no Paraná, de onde vieram para atender a avidez de migrantes, como eles, que chegavam às dezenas, todos os dias.

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Osmar Silva

STF com DNA defeituoso

STF com DNA defeituoso

Parece uma condenação. Daquelas marcadas a ferro e fogo. Não dá para esconder nunca mais. Nem disfarçar, é possível. Logo cai a máscara. E a verdade

O que interessa é o resultado

O que interessa é o resultado

Entre uma futrica daqui uma muvuca d’acolá

Energia elétrica: quem é o ladrão?

Energia elétrica: quem é o ladrão?

A energia elétrica que chega em nossas casas, particularmente em Rondônia, deixou de ser um benefício e se transformou numa afronta à dignidade huma

Bendita professora Nair!

Bendita professora Nair!

Bendito primário daqueles tempos!