Porto Velho (RO) domingo, 20 de outubro de 2019
×
Gente de Opinião

Luciana Oliveira

Uns lutam, outros não ajudam e ainda atrapalham


Uns lutam, outros não ajudam e ainda atrapalham - Gente de Opinião

Se alguém viu algum parlamentar de Rondônia no ato unificado em defesa da educação, me diga que corrijo a crítica.

As ruas do centro da capital foram tomadas por uma manifestação que reuniu por maioria estudantes, professores, funcionários públicos e trabalhadores.

A passeata que interrompeu o trânsito em duas avenidas de intenso fluxo foi não só de grande impacto visual, mas emocional.

Era contra os bloqueios anunciados pelo governo Bolsonaro na educação e também contra a reforma da Previdência que querem aprovar com chantagem para liberação dos recursos.

Foi pela forma depreciativa que o governo classificou as universidades e institutos federais como ambientes doutrinados pela esquerda, de baixíssima qualidade e depravados.

A bem da verdade, todos os governos impuseram contingenciamentos de recursos à educação.

Mas, não com alarde e como forma de pressionar aprovação de reforma. Muito menos desqualificando estudantes, professores e o que produzem.

Nunca de forma generalizada, por tempo indeterminado e com a intenção de provocar pânico.

Quem foi protestar contra os bloqueios, pediu respeito.

Teve gente chorando no encerramento do ato no prédio histórico da Universidade Federal de Rondônia, ao cair a tarde feito um viaduto.

A resposta que o presidente deu às multidões que foram às ruas potencializou tristeza e raiva.

‘Idiotas úteis’, disse Bolsonaro.

Inegável que temos muitos, mas não os que perseguem o saber e sim, os que elegeram um idiota inútil presidente.

Todos estamos sendo feitos de idiotas por ele.

Todos suportamos feito idiotas a ausência de representação política em defesa da UNIR, do IFRO e dos trabalhadores.

Os eleitos deviam estar com os ofendidos nas ruas e nos parlamentos, exigir respeito.

Repito, nas ruas. Nesses atos grandiosos que fizeram muita gente pensar sobre quão destruidor é eleger quem não pensa na educação.

Quando um ou outro parlamentar abre a boca é para amplificar o ‘mi mi mi’ do presidente e seus ministros de colocar a culpa em governos anteriores para justificar bloqueios que na verdade, são estratégia medíocre, indecente e bruta para aprovar a diabólica reforma da previdência.

“Se a economia tiver um crescimento – e nem é ‘recuperar’ porque estamos em um marasmo a perder de vista – mas se tivermos crescimento econômico com a aprovação da nova Previdência, é só o que falta”, disse Abraham Weintraub, ministro da educação ao anunciar e dizer que pode vir a suspender bloqueios.

A deputada Mariana Carvalho (PSDB-RO) concordou que a culpa é de governos petistas em sessão que obrigou o ministro a dar explicações sobre os cortes na educação.

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Luciana Oliveira

Ambientalistas criticam deputado federal Kataguiri por PL que muda licenciamento ambiental

Ambientalistas criticam deputado federal Kataguiri por PL que muda licenciamento ambiental

Deputado do DEM é relator de projeto que flexibiliza emissão de licenças; ‘Deixou-se de lado o equilíbrio e o consenso para dar lugar a entendimentos

Observatório da violência contra os povos indígenas no Brasil

Observatório da violência contra os povos indígenas no Brasil

Caci, sigla para Cartografia dos Ataques Contra Indígenas, é uma plataforma que mapeia os assassinatos de indígenas no Brasil nas últimas décadas. A p

Reunião que inclui a participação de nossos ‘parentes’ no grande BAZAR DA SOLIDARIEDADE.

Reunião que inclui a participação de nossos ‘parentes’ no grande BAZAR DA SOLIDARIEDADE.

Vai ter artesanato, pintura, exposição, muita cultura indígena.

Rondônia: Aumentam invasões e perigo de conflito armado em terras indígenas

Rondônia: Aumentam invasões e perigo de conflito armado em terras indígenas

Voltamos ao território indígena Uru Eu Wau Wau, onde invasores se atrevem cada vez mais e dizem agir por estímulo dos discursos do presidente Jair B