Porto Velho (RO) sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019
×
Gente de Opinião

Luciana Oliveira

Não está sendo fácil - Por Luciana Oliveira


 Não está sendo fácil - Por Luciana Oliveira - Gente de Opinião

Tem sido uma tormenta encarar centenas de comentários de eleitores do candidato fascista nas redes sociais. É prova de paciência.

Não é a humanidade deles que está sendo testada, mas a minha.

Não é prova de honestidade, coerência e bondade pra eles, mas pra mim.

E estou sendo boa, excluo comentários e bloqueio como nunca!

Me poupo, os poupo e ainda inibo a perversão deles.

São masoquistas, pois se submetem à humilhação e sentem prazer com isso.

Invadem publicações para propagar ódio, mentiras e burrices.

Em textão dos eleitores de Bolsonaro não tem “mimimi”, não faltam jargões patéticos sem nenhum fundamento científico. É bater os olhos e ler.

Debate entre candidatos é fundamental à democracia, mas eles pegam um ditado popular fuleiro pra ‘justificar’ a ausência do covarde.

O que tem demais relativizar crimes de lesa-humanidade né? Se outros países com os quais o Brasil mantém relações diplomáticas ou econômicas, autorizam, por que não fazermos o mesmo?

Dia desses meritocracia era vencer uma disputa por estar melhor preparado, agora, é deixar os bons pra trás sendo espertalhão e com o apoio da galera.

O ódio partidário virou pré-requisito ao voto consciente. E daí? Sempre teve voto pensado da barriga pra baixo, por que não contra um cara que está preso?

Mas, Deus é conosco!

Ele virou um idiota mau que ‘abençoa’ uma nação com um governo racista, misógino, xenofóbico, homofóbico e classista.

Povo armado, Constituição sem povo, floresta em chamas, escola com pensamento único e LGBTs como aberrações e alvos de violência.

Ah, e neutros, muitos neutros como Pilatos. Perdoai-os, eles não sabem o que fazem.

O conceito de família, bom…

Que bom que há famílias separadas por Bolsonaro. Um consenso em aprovação a ele, seria muito pior.

Aos amigos, familiares e estranhos que me não me enfurecem, mas entristecem, deixo um recado bíblico, já que a constituição não está valendo nada.

“5 Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra;
6 Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos;
7 Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia;
8 Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus;
9 Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus;
10 Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus.”

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Luciana Oliveira

Corrupção, oposição e impopularidade: desafios de Bolsonaro para aprovar Previdência

Corrupção, oposição e impopularidade: desafios de Bolsonaro para aprovar Previdência

Proposta de Bolsonaro ainda não foi enviada à Câmara, mas gera articulação de oposição e divide conservadoresCristiane SampaioBrasil de FatoA tradicio

Mulheres lideram 36 blocos de Carnaval empoderados por todo o Brasil

Mulheres lideram 36 blocos de Carnaval empoderados por todo o Brasil

Que as mulheres estão ocupando todos os espaços e mostrando sua potência em todas as áreas, da música à ciência, não é novidade. Mas a gente acha o qu

Acre e distritos de Porto Velho correm risco de isolamento por causa das chuvas

Acre e distritos de Porto Velho correm risco de isolamento por causa das chuvas

O Acre novamente sob risco de isolamento por conta do período chuvoso.Olha como está a BR-364 que liga o Estado vizinho ao restante do país.Os distrit

“A Igreja tem de ficar do lado de quem? Ao lado de quem promove a morte ou de quem busca a vida?”, pergunta bispo

“A Igreja tem de ficar do lado de quem? Ao lado de quem promove a morte ou de quem busca a vida?”, pergunta bispo

Humanitas Unisinos – O grupo de bispos brasileiros que prepara o Sínodo sobre Amazônia, previsto para ocorrer em outubro, em Roma, critica a presença