Porto Velho (RO) segunda-feira, 24 de setembro de 2018
×
Gente de Opinião

Luciana Oliveira

Há algo errado em um país que proíbe os alimentos orgânicos e libera o veneno


Há algo errado em um país que proíbe os alimentos orgânicos e libera o veneno - Gente de Opinião

Há algo errado em um país que proíbe os alimentos orgânicos e libera o veneno. É exatamente o que está acontecendo ao apagar das luzes dos mandatos no Congresso Nacional.

Primeiro, foi o pacote do veneno que visa facilitar ainda mais as regras para registro, fabricação, comercialização e utilização dos agrotóxicos no país e retira a competência do Ministério do Meio Ambiente e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para avaliar o seu impacto nos ecossistemas e na saúde pública. Surge a notícia, agora, que um projeto prevê a restrição da venda de produtos orgânicos em supermercados ou lojas de varejos. É um retrocesso monstruoso. O que precisamos é exatamente o oposto: ter cada vez mais alimentos saudáveis, sustentáveis ambientalmente e criar uma rede de políticas públicas para estimular sua produção e comercialização. Um triste retrato do país do golpe que mudaremos em outubro!

Miguel Rossetto,além de outras funções, ocupou o Ministério do Desenvolvimento Agrário nos Governos Lula e Dilma e é pré candidato a Governador do RS

Leia: Venda de produtos orgânicos pode ser proibida em mercado.

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Luciana Oliveira

O que os índices de rejeição dizem sobre os possíveis caminhos do voto útil

O que os índices de rejeição dizem sobre os possíveis caminhos do voto útil

Recorte do Ibope aponta tendências para escolhas dos indecisos e votos estratégicos.

José Mujica: “Depois da pena de morte, a solidão é um dos castigos mais duros”

José Mujica: “Depois da pena de morte, a solidão é um dos castigos mais duros”

Ex-presidente do Uruguai protagoniza no festival de Veneza um documentário e um filme sobre seu longo período na cadeia

Há 500 anos que “o índio é aquele que deve morrer

Há 500 anos que “o índio é aquele que deve morrer

500 anos proibidos para esses povos classificados com um genérico apelido, negadas as identidades, criminalizada a vida diferente e alternativa.500 an

Nota de Repúdio à desvalorização profissional dos interpretes de LIBRAS

Nota de Repúdio à desvalorização profissional dos interpretes de LIBRAS

A Associação de Professores, Parentes, Amigos e Interpretes dos Surdos de Rondônia – APPIS em parceria com a Associação dos Surdos de Porto Velho – AS