Porto Velho (RO) sexta-feira, 17 de agosto de 2018
×
Gente de Opinião

Candiru Madeira

Vou me embora


No passado houve a idéia de criar um país. Criaram um Estado: Rondônia. Não deu certo. Já o chamam até de Roubônia. Fonte de tudo de ruim: roubo de urna eletrônica, big brother de políticos, compra de votos, de reeleição e até piora da Educação. Até na Unir tudo se desune. Não há alternativas. Todo mundo que pensa tá de férias ou não quer nada, como o Gabeira, ou virou arrumadinho: só tá tratando de ganhar um dinheirinho. Vou me embora pra Alto Paraíso. Lá o prefeito já arrumou o Jericódromo, palco da maior corrida de jericos do mundo! Viva! Não sou Zorro nem tonto, mas louco por festa! E no Alto Paraíso nada saberei de manchetes sobre metrôs, tragédias, paulistas ou gregas. Só de cachaça, das negas e buracos! Nem quero saber se dá Aldo ou dá Chinaglia, que é tudo chinês, ou de pacote nenhum de crescimento tão complexo que parece feito de cimento! Só me resta dizer como Stanislaw: ou me dão o meu ou restaure-se a moralidade. E não me importo com nada se me levam pra Paris!

Fonte: bsatti@ibest.com.br

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Candiru Madeira

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

Há dois tipos de pessoas que só fazem perguntas inconvenientes. São as crianças e os médicos. Um exemplo. O Zézinho pergunta pra mãe:- Mamãe! Por que

E o Rondinelli

E o Rondinelli Gonzalez, hein! Que cara legal! Só não se emenda. Colocou no Face que “Pra mim toda mulher é uma rainha... e o castelo dela é a cozinha

E dizem que a morte

E dizem que a morte, lá em Cuba, bateu na porta e Fidel Castro abriu. Quando viu a Horripilante com sua foice não teve dúvidas. Apontou o dedo na dire

Que alguém disse

Que alguém disse alguém disse ( e nem preciso dizer quem) que é preciso que tudo mude para nada mudar! E Rondônia e Porto Velho são o grande exemplo: