Porto Velho (RO) domingo, 19 de agosto de 2018
×
Gente de Opinião

Candiru Madeira

Urubu se confunde com cisne!


Ó situação preta: urubu se confunde com cisne! Para Cassol, mataram muitos! Já foi mais de cem! Ou seja, só quem brinca com índio é a tia do PT! Só em ouvir apito já tô fora!  Quem quiser que vá passear em Espigão, e Cacoal, mas o peixim, não! E, o PT quer o garimpo só para os índios.  Já, o deputado diz que só fica feliz se os brancos puderem garimpar.  Tá aí um deputado contra a discriminação.  Por que só índio? Ora bola, branca não pode ter uns quilates de diamantes?  Aliás, o deputado diz que algo tá errado.  Só aparecem corpos mutilados e espancados.  E, os furados de bala? Os índios tão mais modernos que os traficanes de morro.  Tudo com arma do último tipo.  Basta de índio, garimpeiro e de detento.  Já, nem me aguento!  Não é que vieram me dizer que  comi gato no churrasquinho da esquina?  Mas, deve ter sido com cachaça: Não me lembro de gosto nenhum diferente.  E foi sem Sazon.  Bem, não fiquei doente, logo triste do bicho que outro come! Avestruz é o nome! Passa a bola Juvenal.

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Candiru Madeira

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

Há dois tipos de pessoas que só fazem perguntas inconvenientes. São as crianças e os médicos. Um exemplo. O Zézinho pergunta pra mãe:- Mamãe! Por que

E o Rondinelli

E o Rondinelli Gonzalez, hein! Que cara legal! Só não se emenda. Colocou no Face que “Pra mim toda mulher é uma rainha... e o castelo dela é a cozinha

E dizem que a morte

E dizem que a morte, lá em Cuba, bateu na porta e Fidel Castro abriu. Quando viu a Horripilante com sua foice não teve dúvidas. Apontou o dedo na dire

Que alguém disse

Que alguém disse alguém disse ( e nem preciso dizer quem) que é preciso que tudo mude para nada mudar! E Rondônia e Porto Velho são o grande exemplo: