Porto Velho (RO) quinta-feira, 28 de outubro de 2021
×
Gente de Opinião

Candiru Madeira

Tem certas


Tem certas pessoas a quem você pode entregar tudo que é de integral confiança- menos, é claro, pão de queijo! Veja como são as coisas. Brinquei com a filhinha da Tininha e, a loirinha, me contou a seguinte coisa: Num cérebro de homem tava um neurônio sozinho. Um dia, um outro neurônio passou por lá meio apressado. O neurônio solitário disse:— Olá! Tudo bem? Como vai? Prazer em vê-lo! Vamos conversar! O neurônio que passava pelo cérebro estranha a hospitalidade :— Olá, companheiro! Posso saber o motivo de tanta felicidade ao me ver?— Quer saber? Você é o primeiro neurônio que vejo passar por aqui depois de décadas... estou sozinho há tanto tempo neste maldito cérebro...— Mas espera aí... há quanto tempo você está aqui solitário?— Bem... desde que me entendo de gente... sempre estive aqui...só!— Cara,... mas... você é burro ou o quê? Desce pro pênis. Tá todo mundo lá! Viu? Com loirinha não dá pra brincar! Mas, convenhamos, que pode ser verdade em especial quando vejo os azurzim na farofa com chope! Uma pra segurar na cabeça o filho único!

Fonte: Candiru do Madeira / Candiru do Madeira
 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Candiru Madeira

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

Há dois tipos de pessoas que só fazem perguntas inconvenientes. São as crianças e os médicos. Um exemplo. O Zézinho pergunta pra mãe:- Mamãe! Por que

E o Rondinelli

E o Rondinelli Gonzalez, hein! Que cara legal! Só não se emenda. Colocou no Face que “Pra mim toda mulher é uma rainha... e o castelo dela é a cozinha

E dizem que a morte

E dizem que a morte, lá em Cuba, bateu na porta e Fidel Castro abriu. Quando viu a Horripilante com sua foice não teve dúvidas. Apontou o dedo na dire

Que alguém disse

Que alguém disse alguém disse ( e nem preciso dizer quem) que é preciso que tudo mude para nada mudar! E Rondônia e Porto Velho são o grande exemplo: