Porto Velho (RO) segunda-feira, 29 de novembro de 2021
×
Gente de Opinião

Candiru Madeira

Seu Confuso


Seu Confuso ia dar um “chega pra lá” na ministra Mirian Belchior, mas, teve mesmo foi “um ninguém por aqui”: a ministra se mandou pro Recife e deixou o gov a ver navios! Como teve que voltar de avião viu mesmo as nuvens branquinhas...branquinhas...Já seu Juscelino, que homem difícil de se localizar, sempre está onde não se pensa que está! Do jeito que vai daqui a pouco convida seu K-sol pra jantar! E seu Maurão, hein, ò homem bão! E com a audiência pública em que foram tratados os problemas de Buritis quase que é aclamado! Ainda mais que teve almoço lá do lado! Até o peixim gostou de ser tão bem tratado! E o seu Crivella, o novo ministro da Pesca, é mesmo um homem de fé e pio. Não rio, mas, ele disse que “Não sei colocar minhoca em anzol”. Ainda bem! Eu também! Se bem que coloco minhoca...deixa pra lá! E tá comprovado que o Corinthians tem inveja do São Paulo: o chinês Chen Zhizhao fala mais fino que o Anderson Silva! Uma daquelas estilo cobra com ova!

Fonte: Candiru do Madeira / Jornal Alto Madeira

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Candiru Madeira

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

Há dois tipos de pessoas que só fazem perguntas inconvenientes. São as crianças e os médicos. Um exemplo. O Zézinho pergunta pra mãe:- Mamãe! Por que

E o Rondinelli

E o Rondinelli Gonzalez, hein! Que cara legal! Só não se emenda. Colocou no Face que “Pra mim toda mulher é uma rainha... e o castelo dela é a cozinha

E dizem que a morte

E dizem que a morte, lá em Cuba, bateu na porta e Fidel Castro abriu. Quando viu a Horripilante com sua foice não teve dúvidas. Apontou o dedo na dire

Que alguém disse

Que alguém disse alguém disse ( e nem preciso dizer quem) que é preciso que tudo mude para nada mudar! E Rondônia e Porto Velho são o grande exemplo: