Porto Velho (RO) sábado, 21 de maio de 2022
×
Gente de Opinião

Candiru Madeira

Se um bagre paralisa duas cachoeiras


Meus Deus! A situação tá mais preta que briga de foice no escuro!  Esconjuro!  A navalha passou, mas cortou dezenas de cabeças; seu Expedito, nem o nome de santo respeitam, se equilibrando pra não cair do céu; seu Confúncio perde a paciência chinesa e diz que seu Amorim faz "política sem-vergonha".  E, por fim, seu jidalias dos Anjos Pinto (há anjos que não voam, mas os pintos, dizem, depois de Viagra, sempre sobem), popularmente seu "passarinho", digo seu Tiziu, uma hora da Rondomotos, outra da Honda, tá processando seu Everaldo Fogaça por este ter escritoq ue o governador afirmou que os deputados queriam "mordomias".  Não é uma graça? Afinal, quem não quer?  Por mim, exijo, por semana, uma grade de cachaça!  E ainda que me deixem em casa.  Se possível com o salário, a cesta-básica e tudo mais, como por exemplo:  pizza e marmelada!  Num tô querendo nada demais.  Se um bagre paralisa duas cachoeiras, o que não vale  o "zóio" maior bem conservado?  Pimenta no dos outros é sorvete ralado!  Dá mineira, que tô esquentado!

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Candiru Madeira

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

Há dois tipos de pessoas que só fazem perguntas inconvenientes. São as crianças e os médicos. Um exemplo. O Zézinho pergunta pra mãe:- Mamãe! Por que

E o Rondinelli

E o Rondinelli Gonzalez, hein! Que cara legal! Só não se emenda. Colocou no Face que “Pra mim toda mulher é uma rainha... e o castelo dela é a cozinha

E dizem que a morte

E dizem que a morte, lá em Cuba, bateu na porta e Fidel Castro abriu. Quando viu a Horripilante com sua foice não teve dúvidas. Apontou o dedo na dire

Que alguém disse

Que alguém disse alguém disse ( e nem preciso dizer quem) que é preciso que tudo mude para nada mudar! E Rondônia e Porto Velho são o grande exemplo: