Porto Velho (RO) quarta-feira, 8 de dezembro de 2021
×
Gente de Opinião

Candiru Madeira

Se tudo acabar em pizza


Se tudo acabar em pizza, pelo menos, quero a minha com borda de catupiry! E nem quero saber de nada. A semana pode ser santa, mas, bebo da branquinha, bebo da amarela, bebo na jarra, bebo na tigela. Só não bebo a garrafa porque não passa na guela! E a vida é bela! Mesmo comendo mandi em vez de bacalhau não me considero tão mau que não possa passar bem na casa da vizinha ou ter uma vezinha no almoço do seu Craudinho. E, como sempre disse o cumpadê Ciço “O Brasil tá cheio de gente honesta. É verdade que não aparecem muito porque todos têm medo de perder um bom negócio!”. Ah! Nada como o ócio, mas, renumerado. E o seu Demóstenes, hein! Que se faz com alguém que nem o DEM quer? Aconselhar que peça logo o divórcio à sua mulher! E o homem mais feliz do mundo é Matthieu Ricard que renunciou ao sexo e ao dinheiro. E um hein! Dinheiro não tenho não, porém, gosto de sexo e cachaça de montão

Fonte: Candiru do Madeira / Jornal Alto Madeira

 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Candiru Madeira

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

Há dois tipos de pessoas que só fazem perguntas inconvenientes. São as crianças e os médicos. Um exemplo. O Zézinho pergunta pra mãe:- Mamãe! Por que

E o Rondinelli

E o Rondinelli Gonzalez, hein! Que cara legal! Só não se emenda. Colocou no Face que “Pra mim toda mulher é uma rainha... e o castelo dela é a cozinha

E dizem que a morte

E dizem que a morte, lá em Cuba, bateu na porta e Fidel Castro abriu. Quando viu a Horripilante com sua foice não teve dúvidas. Apontou o dedo na dire

Que alguém disse

Que alguém disse alguém disse ( e nem preciso dizer quem) que é preciso que tudo mude para nada mudar! E Rondônia e Porto Velho são o grande exemplo: