Porto Velho (RO) segunda-feira, 6 de dezembro de 2021
×
Gente de Opinião

Candiru Madeira

Que o casamento


Que o casamento é a causa número um dos divórcios digo pra Tininha, mas, a loirinha não entende ou faz que não entende, o que dá no mesmo. E chora. Não ligo mais porque, agora, virou moda: chora seu Raupp por causa da BR-364, dona Dirmá chora, chora o professor ao ver seu contracheque, choro eu por causa de um pileque ou por não ter um empreguim, de fato tá na moda um chorim! Até o Serra qualquer hora desta chora por não ter o Aécio ou o ínicio como vice e já chora vascaíno por ser sempre vice! E, sou rápido, aprendi com os meninos da Unir: Bará, bará, Berê, Berê! Agora com dona Berenice a coisa vai e, com certeza, meu empreguim sai! Qualquer carguinho de assessor com um contrachequizinho em satisfaz e até, se Deus quiser, vou poder largar a mão da Tininha. É que, quando saio com a bichinha, tenho que simular o maior amor porque se largar a mãozinha dela, sem pensar, ela alguma coisa já vai comprar. E, se reclamo, me diz na lata que só quero gastar com cachaça. Não digo que não seja verdade, mas, dito assim arde! Uma sem ardor, por favor!

Candiru do Madeira / Jornal Alto Madeira

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Candiru Madeira

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

Há dois tipos de pessoas que só fazem perguntas inconvenientes. São as crianças e os médicos. Um exemplo. O Zézinho pergunta pra mãe:- Mamãe! Por que

E o Rondinelli

E o Rondinelli Gonzalez, hein! Que cara legal! Só não se emenda. Colocou no Face que “Pra mim toda mulher é uma rainha... e o castelo dela é a cozinha

E dizem que a morte

E dizem que a morte, lá em Cuba, bateu na porta e Fidel Castro abriu. Quando viu a Horripilante com sua foice não teve dúvidas. Apontou o dedo na dire

Que alguém disse

Que alguém disse alguém disse ( e nem preciso dizer quem) que é preciso que tudo mude para nada mudar! E Rondônia e Porto Velho são o grande exemplo: