Porto Velho (RO) sexta-feira, 3 de dezembro de 2021
×
Gente de Opinião

Candiru Madeira

O comércio de Porto Velho


O comércio de Porto Velho tá tão parado, parado, que já tão dizendo que é mais uma obra do seu Sobrinho! E não é papo! Vai! Vai, caçar sapo! E depois que divulgaram que as strippers usavam máscaras do Ronaldinho Gaúcho nas festas bunga bunga de Silvio Berlusconi, definitivamente, as festas do Adriano perderam a graça! Ninguém se lembrou de usar uma máscara do Bruno! Ah! País! Um dia ainda acha o prumo, porém, se não achar é só se lembrar da Marta: relaxa e goza! Assim é como foi. Pra chatear a Tininha não contaram que uma loirinha com meio cérebro é uma privilegiada, uma abençoada, uma loira superdotada! E não ofereça, pelo amor de Deus, centavos pelo pensamentos de uma loura. Vai ser um imenso problema arranjar troco. E tem a história dos bêbados que vão pegar o carro e gritam: - Fomos assaltados! Depenaram o carro!-Roubaram o radio!- E o volante!- Pô! não deixaram nem o painel! E o vigia do estacionamento- Ei! Por que não sentam no banco da frente?

Fonte: Candiru do Madeira
 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Candiru Madeira

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

Há dois tipos de pessoas que só fazem perguntas inconvenientes. São as crianças e os médicos. Um exemplo. O Zézinho pergunta pra mãe:- Mamãe! Por que

E o Rondinelli

E o Rondinelli Gonzalez, hein! Que cara legal! Só não se emenda. Colocou no Face que “Pra mim toda mulher é uma rainha... e o castelo dela é a cozinha

E dizem que a morte

E dizem que a morte, lá em Cuba, bateu na porta e Fidel Castro abriu. Quando viu a Horripilante com sua foice não teve dúvidas. Apontou o dedo na dire

Que alguém disse

Que alguém disse alguém disse ( e nem preciso dizer quem) que é preciso que tudo mude para nada mudar! E Rondônia e Porto Velho são o grande exemplo: