Porto Velho (RO) segunda-feira, 29 de novembro de 2021
×
Gente de Opinião

Candiru Madeira

O carnaval


O carnaval tá aí na porta. O Galo me atiçou e, com cachaça e alegria agora vou mesmo é cair na folia. Mesmo que o Domingos não me dê um abada da urubuzada me enfio no meio da negrada neste sábado na Banda do Vai Quem Quer e só quero que me olhe uma mulher disposta a rosetar até a música parar! Nem quero saber se Tininha na quarta-feira vai me bater com um rolo de macarrão, pois, se a canoa não virar, olé, olé, olá, eu chego lá! E o Supremo decretou, na beira do carnaval, que bloco de sujo só na folia mandando Madeira abaixo, acho, só em Rondônia, no mínimo, duas centenas de políticos, inclusive alguns daqueles que o deputado Hermínio disse que faltaria fazendas pra fazer presídio! Só não quero que me façam um vídeo do que vou fazer porque o único pecado que não posso deixar de cometer é o de beber, beber até cair. Podem dizer o que quiser, mas, alegria de pobre é carnaval e, neste tô com a peste. Tô até pensando em me fantasiar de rei do Oeste! Uma cabra da peste!

Candiru do Madeira / Jornal Alto Madeira
 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Candiru Madeira

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

Há dois tipos de pessoas que só fazem perguntas inconvenientes. São as crianças e os médicos. Um exemplo. O Zézinho pergunta pra mãe:- Mamãe! Por que

E o Rondinelli

E o Rondinelli Gonzalez, hein! Que cara legal! Só não se emenda. Colocou no Face que “Pra mim toda mulher é uma rainha... e o castelo dela é a cozinha

E dizem que a morte

E dizem que a morte, lá em Cuba, bateu na porta e Fidel Castro abriu. Quando viu a Horripilante com sua foice não teve dúvidas. Apontou o dedo na dire

Que alguém disse

Que alguém disse alguém disse ( e nem preciso dizer quem) que é preciso que tudo mude para nada mudar! E Rondônia e Porto Velho são o grande exemplo: