Porto Velho (RO) segunda-feira, 6 de dezembro de 2021
×
Gente de Opinião

Candiru Madeira

Não há


Não há a menor esperança da Dirmona esquecer o mala na Índia. Todo mundo sabe que Aldo Rebello não foi na comitiva! E agora a “Presidenta” vai ficar insuportável: ganhou o terceiro olho! Já tem ministro preocupado: se ela enxergar um pouco mais, pelo menos, 2/3 vão mesmo é pro olho da rua! E, pelo menos, em Rondônia tá provado: o melhor jeito de surtar é virar diretor de hospital! Uau! Agora dizer que seu Confuso é um banana aí, também, já é duro de descascar! Ia até me candidatar ao cargo de amansador de diretor de hospital, mas, quando soube que o gajo é lutador de artes marciais (e com aquele corpão de lutador de sumô) até meu desejo de um empreguim sumiu!| E, mesmo com um nome tão fidalgo, como Sérgio Paulo de Mello Mendes Filho, só me arrisco com algo que não exija tenha coragem! Como dizia o saudoso Millôr “Não é HYPERLINK "http://www.frasesfamosas.com.br/de/millor-fernandes.html" segredo. Somos feitos de pó, vaidade e muito medo”. Uma que sempre me protejo cedo!

Fonte: Candiru do Madeira / Jornal Alto Madeira

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Candiru Madeira

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

Há dois tipos de pessoas que só fazem perguntas inconvenientes. São as crianças e os médicos. Um exemplo. O Zézinho pergunta pra mãe:- Mamãe! Por que

E o Rondinelli

E o Rondinelli Gonzalez, hein! Que cara legal! Só não se emenda. Colocou no Face que “Pra mim toda mulher é uma rainha... e o castelo dela é a cozinha

E dizem que a morte

E dizem que a morte, lá em Cuba, bateu na porta e Fidel Castro abriu. Quando viu a Horripilante com sua foice não teve dúvidas. Apontou o dedo na dire

Que alguém disse

Que alguém disse alguém disse ( e nem preciso dizer quem) que é preciso que tudo mude para nada mudar! E Rondônia e Porto Velho são o grande exemplo: