Porto Velho (RO) quinta-feira, 26 de maio de 2022
×
Gente de Opinião

Candiru Madeira

Não é àtoa que quem manda é a Infraerro!


Até que enfim subiu o foguete brasileiro.  Nunca antes neste país voamos tão alto.  Agora só existe dois problemas: 1) onde foi parar a droga do foguete; 2) perderam as instruções do lançamento!  Não é àtoa que quem manda na aviação é a Infraerro!  E quem regula é a Anarquia, digo a Anarc. E tudo com superfaturamento!  O sargento Garcia do Lulex acabou sifu com seu gesto.  Nem protesto:  não dá "apagão" em jumento!  Só dá apagão aéreo! viva a Bolívia!  Lá é que país sério.  E, agora, o apagão vai ser resolvido:  Lulla resolveu trabalhar.  O problema é só ele lembrar do "probrema"!  Se bem que dizem que estação de trem é onde os trens param, rodoviária, os ônibus, a mesa do Lulex uma estação de trabalho!  Cara, alho continua sendo uma maravilha!  Cru!  É como pimenta.  Nos olhos alheios.  De nada mais tem receio.  E seu David Chiquilito virou comuinista. Está mesmo na idade.  Bota uma!  Sem maldade!  Sem maldade!  O nosso adeus ao ACM.

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Candiru Madeira

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

Há dois tipos de pessoas que só fazem perguntas inconvenientes. São as crianças e os médicos. Um exemplo. O Zézinho pergunta pra mãe:- Mamãe! Por que

E o Rondinelli

E o Rondinelli Gonzalez, hein! Que cara legal! Só não se emenda. Colocou no Face que “Pra mim toda mulher é uma rainha... e o castelo dela é a cozinha

E dizem que a morte

E dizem que a morte, lá em Cuba, bateu na porta e Fidel Castro abriu. Quando viu a Horripilante com sua foice não teve dúvidas. Apontou o dedo na dire

Que alguém disse

Que alguém disse alguém disse ( e nem preciso dizer quem) que é preciso que tudo mude para nada mudar! E Rondônia e Porto Velho são o grande exemplo: