Porto Velho (RO) quinta-feira, 28 de outubro de 2021
×
Gente de Opinião

Candiru Madeira

Lá se foi seu Chicão!


Lá se foi seu Chicão! Não se despediu não e mal saiu, logo, seu Emanuel sentou! Vindo das bandas da secretaria do lixo pra secretaria de cultura. Que avanço, criatura! E tomou posse logo no dia do folclore! Rápido um gole! Só vai dar certo se for esperto e me oferecer um empreguim! Mas, cá pra nós, a torcida do Flamengo, a comunidade smurf e os amarelinhos, que não são da pilha e sim da piulinha, trocar um vermelhim por outro é como trocar seis por meia dúzia. E os línguas soltas não perdoam nem eles mesmos tanto que um deles disse que, tempos atrás, um dos "segura" ligou pro outro dizendo:- Me espera aí que vou passar pra te levar pra comer. Foi pra almoçar mesmo! E o comércio tá ruim, tá mesmo faltando dinheiro na praça. Isto se reflete na eleição tanto que os tamanduás eleitorais tão reclamando que tá faltando formiguinha. Só numa campanha é que tem demais, porém, escolhidas a dedo: as mais magrinhas e feias! Dizem que é pra não tentar o candidato! Só sei mesmo que os tamanduás tão em extinção. Uma de comemoração.
 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Candiru Madeira

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

Há dois tipos de pessoas que só fazem perguntas inconvenientes. São as crianças e os médicos. Um exemplo. O Zézinho pergunta pra mãe:- Mamãe! Por que

E o Rondinelli

E o Rondinelli Gonzalez, hein! Que cara legal! Só não se emenda. Colocou no Face que “Pra mim toda mulher é uma rainha... e o castelo dela é a cozinha

E dizem que a morte

E dizem que a morte, lá em Cuba, bateu na porta e Fidel Castro abriu. Quando viu a Horripilante com sua foice não teve dúvidas. Apontou o dedo na dire

Que alguém disse

Que alguém disse alguém disse ( e nem preciso dizer quem) que é preciso que tudo mude para nada mudar! E Rondônia e Porto Velho são o grande exemplo: