Porto Velho (RO) domingo, 19 de agosto de 2018
×
Gente de Opinião

Candiru Madeira

Figurão reconhecido


O figurão do sindicalista incógnito, na capital, deu uma fugidinha.  Pegou uma protestante na balada, e foi rezar.  Terminado, a moça indaga: - O senhor é sindicalista, não é? E o figurão: Ah! Me reconheceu? E ela: Não, não sei quem é o senhor.  E ele: Como sabe que sou sindicalista? A moça: Não é por nada, não.  É que por baixo o senhor grita, xinga, protesta, diz que tá tudo errado.  E, depois, por cima, não faz nada! Ara! Bonito pra tua cara! E o senador Valdir Raupp elogiado.  Só não disse que aprendeu tecnologia de buraco.  Pro senador, hoje, tem buraco que cabe um veículo.  Mas, daqui pro fim do ano, com tanta eficiência, vai tá cabendo carreta! De eletrodomésticos! E na pesquisa, Cut passou Sintero.  Em branco, ou no banco? Deve ser piada em gráfico! Ou, Sintero tava parado, e Cut passou! Ah! Tanto dá pra rir como pra chorar! Deste jeito não dá Ribamar.  E seu Sena, gentil, quer me dar crajiru e arnica.  Meu medo é que arde e a rima é feia.  Passeia! CPI, e limão, meu irmão.

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Candiru Madeira

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

Há dois tipos de pessoas que só fazem perguntas inconvenientes. São as crianças e os médicos. Um exemplo. O Zézinho pergunta pra mãe:- Mamãe! Por que

E o Rondinelli

E o Rondinelli Gonzalez, hein! Que cara legal! Só não se emenda. Colocou no Face que “Pra mim toda mulher é uma rainha... e o castelo dela é a cozinha

E dizem que a morte

E dizem que a morte, lá em Cuba, bateu na porta e Fidel Castro abriu. Quando viu a Horripilante com sua foice não teve dúvidas. Apontou o dedo na dire

Que alguém disse

Que alguém disse alguém disse ( e nem preciso dizer quem) que é preciso que tudo mude para nada mudar! E Rondônia e Porto Velho são o grande exemplo: