Porto Velho (RO) quarta-feira, 8 de dezembro de 2021
×
Gente de Opinião

Candiru Madeira

Eu bem sei



Eu bem sei-como disse Falcão - que “amanhã será tomorrow”, mas, como no céu, segundo consta, não existe cachaça bebamos na terra e hoje! Eu só desejo poder sentir a delícia das coisas simples: um salmãozinho de vez quando com vinhoEu bem sei - Gente de Opinião tinto, um amor novo sem perder de vista a emoção e, quem sabe, um contrachequezinho na mão! E Pedro Soares vem aí! Com chifres de todo feitio Porto Velho vai ter jeito! Embora haja quem diga que não se troca chifres velhos por chifres novos sou da mesma opinião do seu Hermínio: é preciso diálogo até mesmo na saúde. De monólogo basta o Paulo propriamente dito! Mas, crueldade é mesmo a do seu Carlos Sperança que, além de subestimar o número do filiados da Ascron, diz que seu Pedro é o nosso Tiririca (sem rima, malvados) analisa friamente que “Se corno votar em corno, com a profusão deles por aqui, Pedro Soares já pode comprar a fatiota para a posse”. O problema é este: o enganado gosta mesmo é do Ricardão. Uma com pão de queijo que meu negócio é cachaça e beijo!

Fonte: Candiru do Madeira

 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Candiru Madeira

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

Há dois tipos de pessoas que só fazem perguntas inconvenientes. São as crianças e os médicos. Um exemplo. O Zézinho pergunta pra mãe:- Mamãe! Por que

E o Rondinelli

E o Rondinelli Gonzalez, hein! Que cara legal! Só não se emenda. Colocou no Face que “Pra mim toda mulher é uma rainha... e o castelo dela é a cozinha

E dizem que a morte

E dizem que a morte, lá em Cuba, bateu na porta e Fidel Castro abriu. Quando viu a Horripilante com sua foice não teve dúvidas. Apontou o dedo na dire

Que alguém disse

Que alguém disse alguém disse ( e nem preciso dizer quem) que é preciso que tudo mude para nada mudar! E Rondônia e Porto Velho são o grande exemplo: