Porto Velho (RO) segunda-feira, 6 de dezembro de 2021
×
Gente de Opinião

Candiru Madeira

E, podem crer


E, podem crer, o seu Ivan Rocha comemorou seu aniversário no Emporium muito bem acompanhado. O peixinho do lado só olhando a saga do seu Ivan, mais dourada que certas cores da Citroen. Ó homem zen! Nem se abala quando seu K-sol quer fazer uma chapa puro sangue, puro sangue mesmo, já que o vice seria o seu Rahal! Homem que entende mesmo de sangue! É carne de sol com sal! Sei não, mas, pobre, pobre mesmo é o Zolhim que perdeu a namorada pro Zecão que tinha, segundo ele, uma bicicleta mais bonita! A dele tava meio enferrujada. Na corrente. Olha o tamanho do guidon! Vamos mudando de tom. Alô, criançada o Bozó chegou trazendo alegria pra você e pro vovô! Tô que tô! E, é inacreditável, Mas, para alívio geral, o Sarney está bem. E, como vocês todos sabem, o termo trabalhar em japonês (hataraku, nem pensem nada demais mentes malignas) significa “dar conforto ao próximo”. No meu caso, bonitinha, pode ser uma beijoca e um cachaçinha! Bem, não sou exigente, uma Onçinha de repente basta! Ah! Minha mente é casta.

Fonte: Candiru do Madeira / Jornal Alto Madeira

 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Candiru Madeira

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

Há dois tipos de pessoas que só fazem perguntas inconvenientes. São as crianças e os médicos. Um exemplo. O Zézinho pergunta pra mãe:- Mamãe! Por que

E o Rondinelli

E o Rondinelli Gonzalez, hein! Que cara legal! Só não se emenda. Colocou no Face que “Pra mim toda mulher é uma rainha... e o castelo dela é a cozinha

E dizem que a morte

E dizem que a morte, lá em Cuba, bateu na porta e Fidel Castro abriu. Quando viu a Horripilante com sua foice não teve dúvidas. Apontou o dedo na dire

Que alguém disse

Que alguém disse alguém disse ( e nem preciso dizer quem) que é preciso que tudo mude para nada mudar! E Rondônia e Porto Velho são o grande exemplo: