Porto Velho (RO) sexta-feira, 3 de dezembro de 2021
×
Gente de Opinião

Candiru Madeira

E, para quem


E, para quem tava acostumado em ver o Barrichello quebrar, a Formula 1 este ano veio completamente renovada: os brasileiros, agora, tão se especializando em bater! Por outro lado, em Porto Velho, quiseram fazer churrasquinho de cantor sertanejo. Quase que Gustavo Lima vai pro brejo. Ôps! Se queima! E tem aquela história que o sem noção me conta da filhinha do papai que casou-se com um milionário que enchia o sogro de presentes caros. Não deu dois meses e a filha chega pro pai dizendo que quer se separar. E ele: -Mas, como se seu marido é um homem maravilhoso! Ela concorda, em parte, mas, diz que não aguenta mais que ele somente que vir por trás, de tal forma que o boga que era de uma moeda de cinco centavos antes, agora, parecia uma de dois reais. E o pai ponderando: -Minha filha, não se larga um casamento tão bom por alguns centavos! Se não vou pra Davos me mando pra Mutum ou pra Calama. Não posso é ficar sem lama! Uma pra lavar! Já!

Fonte: Candiru do Madeira / Jornal Alto Madeira

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Candiru Madeira

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

Há dois tipos de pessoas que só fazem perguntas inconvenientes. São as crianças e os médicos. Um exemplo. O Zézinho pergunta pra mãe:- Mamãe! Por que

E o Rondinelli

E o Rondinelli Gonzalez, hein! Que cara legal! Só não se emenda. Colocou no Face que “Pra mim toda mulher é uma rainha... e o castelo dela é a cozinha

E dizem que a morte

E dizem que a morte, lá em Cuba, bateu na porta e Fidel Castro abriu. Quando viu a Horripilante com sua foice não teve dúvidas. Apontou o dedo na dire

Que alguém disse

Que alguém disse alguém disse ( e nem preciso dizer quem) que é preciso que tudo mude para nada mudar! E Rondônia e Porto Velho são o grande exemplo: