Porto Velho (RO) segunda-feira, 18 de junho de 2018
×
Gente de Opinião

Candiru Madeira

Candiru em extinção


E, o famoso assessor "puxa-bola", impressionado com o talento matemático de Lulex? Não, maldosos, não foi porquê, para mostrar que nunca antes houve outro à sua altura neste país, tenha dito que "faz 470 anos" desde 1500 que não se faz tanto!  O assessor, por favor, "acessor" não, disse que Lulex mandou que ele dividisse dois números impares para dar a mesma coisa.  Claro que ele errou. O chefe não.  Dividiu 61 e 51 e deu 1/2 garrafa para cada um! E, não me oferecem nada.  Nem seu Tiziu, nem Jesualdo nem seu Wilber, que tiveram com o "presdi", não me arranjaram nada! Que coisa danada! É, seu Marcelo da ANCAR, não conhece "miratinga".  "Falem mal, mas, falem de mim".  Vou começar a campanha "Candiru em extinção" para ver se aparece, ao menos o da benção! Ou, se me incluem nas medidas compensatórias das usinas!  E, aí, meninas!  Todo mundo pensa, depois da novela da Globo, que se pode sair do calçadão para apartamento;  só arranjando um executivo jumento!  Não é  assim não, baby! Há que se mamar! - E, não é na teta! Traga uma cerva preta!

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Candiru Madeira

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

Há dois tipos de pessoas que só fazem perguntas inconvenientes. São as crianças e os médicos. Um exemplo. O Zézinho pergunta pra mãe:- Mamãe! Por que

E o Rondinelli

E o Rondinelli Gonzalez, hein! Que cara legal! Só não se emenda. Colocou no Face que “Pra mim toda mulher é uma rainha... e o castelo dela é a cozinha

E dizem que a morte

E dizem que a morte, lá em Cuba, bateu na porta e Fidel Castro abriu. Quando viu a Horripilante com sua foice não teve dúvidas. Apontou o dedo na dire

Que alguém disse

Que alguém disse alguém disse ( e nem preciso dizer quem) que é preciso que tudo mude para nada mudar! E Rondônia e Porto Velho são o grande exemplo: