Porto Velho (RO) quarta-feira, 8 de dezembro de 2021
×
Gente de Opinião

Candiru Madeira

A grande e sábia filósofa


A grande e sábia filósofa do Alto Madeira, falou que hoje o dia era para Cará. Já o anarquista marqueteiro só falava em peixe, Dourado, Pintado ou Pirarucu. Eu que só ando atrás do meu empreguim na Seduc e seu Julio não quer saber de mim, é quem afirma que se o pobre for dado a ter um comportamento diferente, digamos assim, demonstrar que não concorda com a maioria, que tem opinião própria, será considerado um candidato a empregado da mãe da Delta, ou seja, um doido, alguém que tem “um probleminha”. Diferente, porém, é se for rico. Rico é outra coisa. Aí será considerado “excêntrico”. E tem a história do sujeito que todo dia matava um da família para não trabalhar. Um dia chega para se justificar, mais uma vez, ao chefe, mas, este nem lhe deixa falar e manda pegar as contas no pessoal. Ele então pondera: - Mas, chefe só porque morreu mais um parentizinho você vai me dar as contas? E o chefe: - Não, meu filho, é que você não terá mais tempo de trabalhar cuidando do seu cemitério particular! Uma das que desce sem arranhar! E vou dar a grande notícia: - Arranjei um empreguim! Vivas e vivas pra mim!

Fonte: Candiru do Madeira

 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Candiru Madeira

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

Há dois tipos de pessoas que só fazem perguntas inconvenientes. São as crianças e os médicos. Um exemplo. O Zézinho pergunta pra mãe:- Mamãe! Por que

E o Rondinelli

E o Rondinelli Gonzalez, hein! Que cara legal! Só não se emenda. Colocou no Face que “Pra mim toda mulher é uma rainha... e o castelo dela é a cozinha

E dizem que a morte

E dizem que a morte, lá em Cuba, bateu na porta e Fidel Castro abriu. Quando viu a Horripilante com sua foice não teve dúvidas. Apontou o dedo na dire

Que alguém disse

Que alguém disse alguém disse ( e nem preciso dizer quem) que é preciso que tudo mude para nada mudar! E Rondônia e Porto Velho são o grande exemplo: