Porto Velho (RO) quinta-feira, 28 de outubro de 2021
×
Gente de Opinião

Candiru Madeira

A funerária


A funerária lançou uma campanha pros genros tentadora: “Se sua sogra é uma jóia temos a caixinha com 30% de desconto!”. E o mundo não acabou! Não podia. Tinha o dedo do governo e do PT: só podia dar errado e demorar a execução! Remember os viadutos que vão cair antes de acabar! E nem venha me dizer que quem dá importância as pequenas coisas é esposa de japonês! E me jurava ser meu amigo, que podia contar com ele e, ó decepção! acabou meu estoque de cachaça com o fim de mundo, e peço cem pilas ao imundo, que me diz que podia contar, mas, não com dinheiro não! Ó bichim fuleiro! Se amigo é pra essas coisas! E, cês, precisam saber: ali no centro, quase fui assaltado. Aí contei minha saga, minha situação financeira pro ladrão e, pensei, que ia levar um tiro. Não! Ele quase chora e disse: - É a situação tá difícil pra todo mundo. E me deu dez pilas e saiu correndo! Cê tá vendo! Ladrão ainda se recupera, mas, político... Uma pra acalmar a fera!

Fonte: Candiru do Madeira / Jornal Alto Madeira

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Candiru Madeira

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

Há dois tipos de pessoas que só fazem perguntas inconvenientes. São as crianças e os médicos. Um exemplo. O Zézinho pergunta pra mãe:- Mamãe! Por que

E o Rondinelli

E o Rondinelli Gonzalez, hein! Que cara legal! Só não se emenda. Colocou no Face que “Pra mim toda mulher é uma rainha... e o castelo dela é a cozinha

E dizem que a morte

E dizem que a morte, lá em Cuba, bateu na porta e Fidel Castro abriu. Quando viu a Horripilante com sua foice não teve dúvidas. Apontou o dedo na dire

Que alguém disse

Que alguém disse alguém disse ( e nem preciso dizer quem) que é preciso que tudo mude para nada mudar! E Rondônia e Porto Velho são o grande exemplo: