Porto Velho (RO) segunda-feira, 23 de setembro de 2019
×
Gente de Opinião

Candiru Madeira

A ciência confirma


 
A ciência confirma: o casamento diminui a agressividade! É verdade tanto que, com o tempo, diminui o costume de dar uma tapinhas no borocochô! Suspende o ferro! A mesma comida durante muito tempo enjoa. E canta cumpadê Ciço “O tempo passa, o tempo voa. E só a Luiza Brunet continua numa boa”. Desce o ferro! Atiraram no Zé Pretinho que ficou branco de medo. Morrer não morreu não. E disseram que alvejaram ele, mas, que continua preto do mesmo jeito! Suspende o ferro! Mas, pelo amor de Deus, erguendo a roupa não! Sou fraquim do coração! O Brasil tá pior do que dizem. Passou o dia da corrupção e nada comemoração! Este nem parece que é o país do Mensalão, do paraíso dos vídeos de recebimento de propina em sapatos e cuecas. E só não tô mais preocupado com a vida porque colocaram Idelli Salvatti no Ministério da Pesca. Todos os peixes estão salvos! E o orçamento também que se livrou dela! Uma em homenagem a Estela. Ôps!Dirmá! Tô puxando o saco da sem.

Fonte: Candiru do Madeira / Jornal Alto Madeira


 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Candiru Madeira

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

Há dois tipos de pessoas que só fazem perguntas inconvenientes. São as crianças e os médicos. Um exemplo. O Zézinho pergunta pra mãe:- Mamãe! Por que

E o Rondinelli

E o Rondinelli Gonzalez, hein! Que cara legal! Só não se emenda. Colocou no Face que “Pra mim toda mulher é uma rainha... e o castelo dela é a cozinha

E dizem que a morte

E dizem que a morte, lá em Cuba, bateu na porta e Fidel Castro abriu. Quando viu a Horripilante com sua foice não teve dúvidas. Apontou o dedo na dire

Que alguém disse

Que alguém disse alguém disse ( e nem preciso dizer quem) que é preciso que tudo mude para nada mudar! E Rondônia e Porto Velho são o grande exemplo: