Porto Velho (RO) segunda-feira, 6 de julho de 2020
×
Gente de Opinião

Anísio Gorayeb

Perdemos Miguel Silva


Perdemos Miguel Silva - Gente de Opinião

Perdemos na madrugada dessa quinta-feira (09/01) o querido amigo Miguel Silva, jornalista esportivo e grande incentivador da cultura.

Miguel era paraense de nascimento, mas rondoniense de coração.

Ele chegou em Rondônia há quatro décadas, e deste então vinha atuando no esporte e na cultura, tanto no rádio como na televisão. Assim que chegou se apaixonou pelo Ypiranga, que era o time do seu coração, onde seu filhos nadaram e dali ganharam notoriedade nessa modalidade. Miguel era também apaixonado pela natação.

Poucos sabem, mas Miguel Silva foi um dos apoiadores do Arraial Flor do Maracujá ainda no seu início de tudo, visto que sua esposa Nazaré Silva é uma das fundadoras.

Que Deus conforte o coração da família nesse momento de dor pela imensa perda.

Descanse em Paz, grande guerreiro.

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Anísio Gorayeb

Jorge Teixeira de Oliveira em Cacoal no ano de 1983

Jorge Teixeira de Oliveira em Cacoal no ano de 1983

Visita do Governador Jorge Teixeira de Oliveira, ao centro (3), ao município de Cacoal no ano de 1983. Na imagem, acompanhando o governador, vemos tam

Rondomarsa na década de 60

Rondomarsa na década de 60

Na década de 60 aconteceu a união de duas industrias automobilísticas americanas, a Ford e a Willys. Essas marcas eram vendidas aqui em Porto Velho pe

Obelisco na década de 40 em Porto Velho

Obelisco na década de 40 em Porto Velho

Nessa imagem da década de 40, vemos o obelisco erguido em comemoração ao primeiro centenário da Independência do Brasil, inaugurado dia 7 de setembro

1942: criação da SEMTA - Serviço Especial de Mobilização de Trabalhadores para Amazônia

1942: criação da SEMTA - Serviço Especial de Mobilização de Trabalhadores para Amazônia

Durante o governo do Presidente Getúlio Vargas, foi criada uma instituição chamada SEMTA - Serviço Especial de Mobilização de Trabalhadores para Amazô