Porto Velho (RO) domingo, 19 de maio de 2019
×
Gente de Opinião

Amazônias - Gente de Opinião

Amazônias

População da Amazônia segue isolada - Por Marcelo Freire


Nesta semana, os participantes da última  audiência pública do primeiro semestre promovida pela Comissão de Infraestrutura (CI) do Senado Federal disseram que a  execução da obra de recuperação da BR-319, que liga Porto Velho (RO) a Manaus (AM), ainda depende da conclusão de estudos de impacto ambiental e indígena.

A novidade é que já foram gastos mais de R$ 100 milhões em estudos ambientais para viabilizar a repavimentação da rodovia.  Esse valor é quase um terço dos US$ 150 milhões gastos na construção de toda a rodovia na década de 1970, somente para estudos ambientais, informou o senador Acir Gurgacz (PDT), vice-presidente da Comissão, e que ao longo do seu mandato tem defendido a restauração da rodovia.

Ocorre que mais de 4 anos já se passaram e a população segue isolada no período das chuvas, quando a rodovia federal fica completamente intrafegável.  A BR-319 tem 877,4 quilômetros de extensão e é a única ligação rodoviária entre Manaus e Porto Velho e o restante do país.  O recapeamento da BR-319 é de extrema importância, porque o Amazonas não produz a maior parte dos alimentos que consome.

Os preço dos alimentos no Amazonas é um absurdo e  basicamente que é consumido na região vem de Rondônia e Roraima. Em Roraima há uma BR asfaltada que liga o estado à Região Norte e a outros países. Essa BR passa por terras indígenas. E não temos ainda a recuperação da BR-319, que não passa por reserva indígena.

Se espera da nova direção do Departamento  de Infraestrutura Ferroviária do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT), uma solução mais eficaz para o caso. Todos sabem que o  segmento não licenciado, conhecido como trecho do meião da floresta, tem 405,7 Km de extensão. Para a execução das obras, o Ibama exigiu a elaboração do estudo e do relatório de impacto ambiental.

A diretora de Licenciamento Ambiental do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Larissa Carolina Amorim, informou que, em 2008, o órgão devolveu o estudo de impacto ambiental, pois considerou insuficiente para a análise. Desde então, nenhum outro estudo foi apresentado.

Muitos ainda se arriscam em transitar pela rodovia no período do inverno Amazônia, o que aumenta o risco de isolamento. Recentemente estudantes foram resgatados pelo Exército após permaneceram mais de 5 dias isolados. É preciso buscar uma saída urgente para a recuperação da rodovia. A Amazônia começa a enfrentar hoje o período da estiagem, período importante para a execução de obras de restauração da rodovia. Vamos aguardar.

Mais Sobre Amazônias

Como fica a Amazônia, Sr. Presidente?

Como fica a Amazônia, Sr. Presidente?

Onde e como a Amazônia entra nessa história escrita por linhas tortas?

Pesquisadores iniciam campanha de captura científica de onças-pintadas em reserva na Amazônia

Pesquisadores iniciam campanha de captura científica de onças-pintadas em reserva na Amazônia

Capturas científicas acontecem periodicamente há mais de dez anos na Reserva Mamirauá. Objetivo dos cientistas é monitorar o movimento e área de vida

Instituto Mamirauá oferece curso de manejo de pirarucu na Amazônia

Instituto Mamirauá oferece curso de manejo de pirarucu na Amazônia

Curso está na nona edição e capacita profissionais para a implementação de sistemas de manejo de pirarucu. Interessados podem se inscrever até 15 de m

Instituto Mamirauá está à procura de bolsistas para o estudo de práticas agrícolas na Amazônia

Instituto Mamirauá está à procura de bolsistas para o estudo de práticas agrícolas na Amazônia

As bolsas têm duração de até cinco anos e são indicadas à pesquisadores com disponibilidade de trabalhar na Amazônia Central, nas reservas onde o inst