Porto Velho (RO) segunda-feira, 21 de outubro de 2019
×
Gente de Opinião

Amazônias - Gente de Opinião

Amazônias

Movimentos sociais receberão Evo com festa


 
 

XICO NERY
Amazônias

GUAYARAMERÍN, Beni, Bolívia – O presidente Evo Morales desembarca neste sábado às 14h30 no aeroporto desta cidade separadas de Guajará-Mirim (Rondônia) pelas águas do Rio Mamoré. Chega à fronteiraMovimentos sociais receberão Evo com festa  - Gente de Opinião, a 362 quilômetros de Porto Velho, depois de cumprir agenda bastante concorrida em La Paz e em várias regiões do Platô Central Boliviano.

Integrante do Movimento ao Socialismo (MAS), o presidente boliviano é esperado por uma grande legião de compatriotas e simpatizantes do lado brasileiro. A exemplo do período final da campanha pela reeleição, em 2009, destaca-se na homenagem uma caravana do Partido Comunista Brasileiro (PCB) com representantes dos estados de Rondônia, Acre, Amazonas e da região do Vale do Guaporé, em Mato Grosso.

Esta semana, Evo Morales participou de diversas manifestações de rua em apoio a candidatos dos partidos que fazem da aliança com o partido do governo desde o primeiro mandato (2005-2009). Segundo a Rádio Che Guevara, de Guayaramerín, entre as províncias visitadas para fortalecer candidatos a vereador, a prefeito (alcaide) e a governador, Cobija (Pando) foi das mais concorridas.

Riberalta, principal cidade industrial do país, regozijou-se com a presença do presidente. É lá que estão situados os setores estratégicos da indústria têxtil (vestuário e de couro), de beneficiamento de borracha, castanha e essências naturais importadas do Brasil. 


Delegações

Por aqui, a novidade durante a recepção ao presidente boliviano fica por conta dos movimentos sociais, de trabalhadores urbanos e do campesinato, ligados à Organização Territorial de Base (OTB) e do Brasil, representados pela Associação de Bolivianos Residentes em Guajará-Mirim.

As delegações brasileiras começaram a chegar quinta-feira, em ônibus, carros particulares e lanchas voadeiras usadas no transporte reduzido de pessoas e de cargas leves entre Guajará-Mirim e Guayaramerín.

No aeroporto Morales fará um rápido discurso, no qual agradecerá o público e convocará a todos para participar de uma caminhada até a sede do Comitê Político e de Cidadania da candidata ao governo do Departamento Beni, Jessica Jordan, de 26 anos, na aliança do IPSP e MAS, nas eleições do dia 4 de abril próximo.

Ciente de mais uma vitória nas cidades do Departamento Beni, Morales buscará mudanças de rumo na economia, no campo social, na educação, na saúde e nas relações comerciais com o empresariado brasileiro do outro lado da fronteira.

Deverá destacar o apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Bolívia desde o primeiro mandato. A Bolívia tem agora grande expectativa na construção da ponte binacional entre Guayaramerín e Guajará-Mirim.

Morales deverá apelar ao presidente brasileiro para que acelere o ritmo das conversações entre Brasil e os países do Mercosul, a partir do inicio da construção da ponte binacional e das hidrelétricas de Jirau (Rondônia) e de Cachuella Esperanza, em Guayaramerín. É o caminho esperado pelos bolivianos para desfrutar também da saída brasileira para os portos do Oceano Pacífico.

Mais Sobre Amazônias

A soberania

A soberania

O mundo apenas quer que não derrubem a floresta da Amazônia em 2019, mas não se interessa pela soberania do Brasil.

No Amazonas, Instituto Mamirauá realiza 1º Oficina de Certificação Orgânica

No Amazonas, Instituto Mamirauá realiza 1º Oficina de Certificação Orgânica

O mercado de alimentos orgânicos tem ganhado cada vez mais espaço e valorização a medida que são comprovados os malefícios à saúde humana e ao meio

É possível criar gado de modo sustentável na Amazônia? Especialistas respondem

É possível criar gado de modo sustentável na Amazônia? Especialistas respondem

“O gado não é o grande vilão, a forma que é feita essa produção que pode ser maléfica ou não”, explica a engenheira agrônoma Jerusa Cariaga. Isso po

A Amazônia pode desaparecer como floresta e isso vai impactar o mundo todo

A Amazônia pode desaparecer como floresta e isso vai impactar o mundo todo

O programa Ambiente É o Meio desta quarta-feira conversa com o engenheiro, pesquisador e coordenador do Programa Amazônia, do Instituto Nacional de Pe