Porto Velho (RO) terça-feira, 16 de julho de 2019
×
Gente de Opinião

Amazônias - Gente de Opinião

Amazônias

Incêndios na Amazônia liberaram 4 vezes mais CO2 que estimado


EFE - Um estudo elaborado pela Universidade de Lancaster, no Reino Unido, e publicado na revista acadêmica "Philosophical Transactions of the Royal Society B" mostrou que os incêndios registrados na floresta Amazônica entre 2015 e 2016, causados pelo fenômeno El Niño, emitiram quatro vezes mais dióxido de carbono (CO2) do que o previsto inicialmente em comparação com uma base de dados sobre emissões em nível mundial.

O fenômeno do El Niño, relacionado com o aquecimento do Oceano Pacífico, provocou efeitos devastadores em diferentes locais do mundo entre 2015 e nos primeiros meses de 2016. De acordo com o principal autor do estudo, o professor Kieran Withey, "os incêndios descontrolados nas florestas tropicais úmidas durante secas extremas são uma fonte importante e pouca quantificada de emissões de CO2".

No total, foram analisados 6,6 milhões de hectares, o equivalente a menos de 0,2% da Amazônia brasileira. No entanto, segundo os pesquisadores, os focos registrados nessa região emitiram mais de 30 milhões de toneladas de CO2 na atmosfera, um índice que é de três a quatro vezes maior que o estimado segundo a base de dados.

Mais Sobre Amazônias

Turismo pode ajudar a resgatar cultura kambeba na Amazônia

Turismo pode ajudar a resgatar cultura kambeba na Amazônia

Entre os kambeba da terra indígena do Jaquiri, na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, no Amazonas, 47 das 49 pessoas que residem na peque

Websérie conta histórias de cientistas de todo o Brasil e de ribeirinhos que se uniram para conservar a Amazônia

Websérie conta histórias de cientistas de todo o Brasil e de ribeirinhos que se uniram para conservar a Amazônia

Há mais de 20 anos, cientistas começaram a desembarcar na cidade de Tefé, no estado do Amazonas, e se unir a ribeirinhos na região do Médio Solimões,

Desmatamento: Espécie de macaco da Amazônia pode perder até 59% de habitat nos próximos 40 anos, aponta estudo

Desmatamento: Espécie de macaco da Amazônia pode perder até 59% de habitat nos próximos 40 anos, aponta estudo

De cabeça arredondada e pelagem escura, o macaco-barrigudo (Lagothrix cana), um dos maiores primatas da Amazônia, corre o risco de perder cerca de 59%

Amazonas: Ribeirinhos cultivam mesmas espécies que indígenas já extintos da Amazônia Antiga, mostra estudo

Amazonas: Ribeirinhos cultivam mesmas espécies que indígenas já extintos da Amazônia Antiga, mostra estudo

Artigo que mostra resultados de coletas de vestígios arqueobotânicos será apresentado no 16º Simpósio sobre Conservação e Manejo Participativo na Amaz