Porto Velho (RO) domingo, 19 de maio de 2019
×
Gente de Opinião

Amazônias - Gente de Opinião

Amazônias

Guajará-Mirim esconde potencial da fiscalização


 

Guajará-Mirim esconde potencial da fiscalização  - Gente de Opinião

Mercados e outros estabelecimentos de Guajará-Mirim
 deve ser fiscalizados na Semana Santa / M.CRUZ



XICO NERY
Amazônias

 
GUAJARÁ-MIRIM, Rondônia — Depois da operação conjunta de bons resultados feita em 2009 pela Secretaria Municipal de Saúde e pela Polícia Federal não se tem notícia de ações semelhantes no âmbito municipal. Principalmente, de equipes de fiscalização da Vigilância Sanitária que, por força da legislação federal, devem percorrer, periodicamente, a rede de supermercados, bares, lanchonetes, mercearias, armazéns, feiras-livres e mercados municipais que vendem alimentos. 

Nesta época do ano, dentro do período da Quaresma, logo o término do carnaval, é comum em outras cidades brasileiras a Vigilância Sanitária municipal promover blitzes no comércio formal e informal. Geralmente, a tradicional "Operação Semana Santa" sai às ruas para verificar a qualidade dos produtos consumidos no período. 

Dos alimentos que constam na "lista suja" do consumidor estão ovos, frangos congelados, peixes, bacalhau, carnes (resfriadas) e enlatados. 

— Esses produtos sempre alvo da fiscalização — esclarece um fiscal da Vigilância Sanitária Municipal que pede para não ser identificado. 

Segundo ele, tanto na vizinha Nova Mamoré como em Guajará-Mirim, o quadro de servidores é deficitário e não há secretário de saúde que faça cumprir à risca a legislação pertinente. Há anos o quadro não tem aumento de servidores, ele conta. 

“Embaraço” 

A mesma fonte citou o "embaraço" que é, no caso da Vigilância Sanitária Municipal, botar a fiscalização nas ruas e agir com rigor. Há anos, também, esse órgão da Secretaria de Saúde, pelo menos, na Semana Santa e nas festas natalinas, não dispõe de pessoal de apoio técnico capaz de manter o cumprimento da legislação estabelecida no segmento de produção, consumo e comercialização de alimentos. 

Isso não ocorre com o setor farmacêutico. Depois de percorrer os quatro cantos da cidade, um repórter da Rádio Educadora constatou que supermercadistas e comerciantes “até que aguardam a visita das equipes de Fiscalização Sanitária. 

Até a semana passada, a secretária Denise Marques não havia deflagrado a tradicional "Operação Semana Santa" cuja ação deve contar com veterinário, biólogo e nutricionista treinados pelos órgãos municipais e pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, pelo Serviço de Inspeção Federal da Delegacia Federal de Agricultura.

Mais Sobre Amazônias

Como fica a Amazônia, Sr. Presidente?

Como fica a Amazônia, Sr. Presidente?

Onde e como a Amazônia entra nessa história escrita por linhas tortas?

Pesquisadores iniciam campanha de captura científica de onças-pintadas em reserva na Amazônia

Pesquisadores iniciam campanha de captura científica de onças-pintadas em reserva na Amazônia

Capturas científicas acontecem periodicamente há mais de dez anos na Reserva Mamirauá. Objetivo dos cientistas é monitorar o movimento e área de vida

Instituto Mamirauá oferece curso de manejo de pirarucu na Amazônia

Instituto Mamirauá oferece curso de manejo de pirarucu na Amazônia

Curso está na nona edição e capacita profissionais para a implementação de sistemas de manejo de pirarucu. Interessados podem se inscrever até 15 de m

Instituto Mamirauá está à procura de bolsistas para o estudo de práticas agrícolas na Amazônia

Instituto Mamirauá está à procura de bolsistas para o estudo de práticas agrícolas na Amazônia

As bolsas têm duração de até cinco anos e são indicadas à pesquisadores com disponibilidade de trabalhar na Amazônia Central, nas reservas onde o inst