Porto Velho (RO) sábado, 16 de novembro de 2019
×
Gente de Opinião

Amazônias - Gente de Opinião

Amazônias

Em feira, pirarucu manejado supera R$ 20 mil de faturamento para ribeirinhos

15ª Feira do Pirarucu Manejado de Tefé aconteceu nos dias 12 e 13 de outubro


Fotos: Júlia de Freitas) - Gente de Opinião
Fotos: Júlia de Freitas)

Pescado sustentável que se tornou símbolo do desenvolvimento sustentável no interior da Amazônia, o pirarucu manejado superou R$20 mil reais de faturamento para pescadores ribeirinhos na 15º Feira do Pirarucu Manejado e Agricultura Familiar de Tefé.

O evento aconteceu nos dias 12 e 13 de outubro no Mirante das Mangueiras, em Tefé, no estado do Amazonas.

Foram 103 peixes vendidos e provenientes do Acordo Pesca do Setor Pantaleão da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã, grupo que conta com a assessoria técnica do Programa de Manejo de Pesca (PMP) do Instituto Mamirauá, organização social fomentada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

Do total, 45 foram vendidos no primeiro dia e 58 no segundo, resultando num faturamento bruto de R$ 23.538,50.

Os preços estabelecidos variaram de R$2 a R$13 o quilo, de acordo com a parte do pescado. Além dos diversos cortes de carne, foram também comercializadas as vísceras e as carcaças dos peixes.

 

Combate à clandestinidade e conservação da espécie

“A feira possibilita que a população tenha acesso ao produto legal, e aproxima quem produz de quem consome, é a melhor estratégia de combate ao comércio clandestino da espécie”, afirma a coordenadora do Programa de Manejo de Pesca (PMP) do Instituto Mamirauá, Ana Cláudia Torres.

A espécie chegou a sofrer risco de extinção local na região na década de 1980, após sobrexploração.

Implementado há 20 anos na região, o Plano de Manejo do Pirarucu permitiu que centenas de comunidades ribeirinhas alinhassem a pesca realizada tradicionalmente pelas populações com a conservação da espécie, que se encontrava ameaçada na principalmente pela invasão de barcos pesqueiros ilegais na região.

O programa de manejo estabelece critérios como cota, tamanho mínimo e período de defeso para a pesca do peixe, respeitando o ciclo reprodutivo da espécie e mantendo-a fora de perigo.

 

Agricultura familiar e atividades

Além da venda do pescado, a feira também teve produtos da agricultura familiar da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã, da Floresta Nacional de Tefé (Flona), da Emade e comunidade Missão.

As crianças realizaram atividades montando brinquedos de montagem e colorindo desenhos do maior peixe de escamas de água doce do mundo. Os visitantes do evento também puderam tirar fotos com dois pirarucus que ficaram em exposição.

A 15º Feira de Pirarucu Manejado e da Agricultura Familiar de Tefé teve financiamento do Banco da Amazônia e do Governo Federal e contou com o apoio da Prefeitura Municipal de Tefé, Colônia de Pescadores Z-4 de Tefé, DEMUC/SEMA, Fundação Amazonas Sustentável (FAS), Sebrae e IDAM.

Galeria de Imagens

Mais Sobre Amazônias

Na Amazônia, jovem ribeirinha de 19 anos desenvolve projeto para melhorar venda de polpas de frutas de sua comunidade

Na Amazônia, jovem ribeirinha de 19 anos desenvolve projeto para melhorar venda de polpas de frutas de sua comunidade

Açaí e cupuaçu viraram matéria prima de sofisticados cosméticos e caros produtos alimentícios no exterior. Antes de 2017, entretanto, essas e outras

Látex orgânico gera renda às famílias da Amazônia

Látex orgânico gera renda às famílias da Amazônia

Desde que foi idealizada, a tecnologia social Encauchados de Vegetais da Amazônia vem proporcionando o desenvolvimento social, de forma sustentável,  

Em 20 anos, pesquisadores do Instituto Mamirauá descobriram 23 novas espécies de animais na Amazônia

Em 20 anos, pesquisadores do Instituto Mamirauá descobriram 23 novas espécies de animais na Amazônia

Apesar de antigo destino de expedições científicas, a Amazônia é detentora de biodiversidade tão grande que novas espécies de fauna e flora são desc

A soberania

A soberania

O mundo apenas quer que não derrubem a floresta da Amazônia em 2019, mas não se interessa pela soberania do Brasil.