Porto Velho (RO) domingo, 19 de maio de 2019
×
Gente de Opinião

Amazônias - Gente de Opinião

Amazônias

CRÕNICAS GUAJARAMIRENSES: Minhas doces lembranças do Rio Guaporé


CRÕNICAS GUAJARAMIRENSES: Minhas doces lembranças do Rio Guaporé - Gente de Opinião


"...no verão, quando as praias ficam mais salientes, nas noites de lua cheia, o espetáculo fica mais inebriante! Onças descem para a ceia; viram as tartarugas, em processo de desova, e com a sua pata arrancam a casca grossa dos indefesos quelônios e se fartam à saciedade. 

Mas, nem a brutalidade de uma cena mais forte retira do observador a surpresa que se traduz com a visão daquele cenário estonteante: a lua espraiada na areia fina, refletida nas águas límpidas e negras do Guaporé. O vento sopra, uma camada fina de areia sobe um pouco, eleva-se, como a querer registrar de um plano mais alto a beleza que se recolhe daquele espelho de água cristalina, que traduz encantamento e a obrigação de se agradecer a Deus por tamanha benevolência." CLIQUE E LEIA MAIS NA COLUNA DO MEMBRO DA ACADEMIA GUAJARAMIRENSE DE LETRAS, DOUTOR PAULO SALDANHA.

Mais Sobre Amazônias

Como fica a Amazônia, Sr. Presidente?

Como fica a Amazônia, Sr. Presidente?

Onde e como a Amazônia entra nessa história escrita por linhas tortas?

Pesquisadores iniciam campanha de captura científica de onças-pintadas em reserva na Amazônia

Pesquisadores iniciam campanha de captura científica de onças-pintadas em reserva na Amazônia

Capturas científicas acontecem periodicamente há mais de dez anos na Reserva Mamirauá. Objetivo dos cientistas é monitorar o movimento e área de vida

Instituto Mamirauá oferece curso de manejo de pirarucu na Amazônia

Instituto Mamirauá oferece curso de manejo de pirarucu na Amazônia

Curso está na nona edição e capacita profissionais para a implementação de sistemas de manejo de pirarucu. Interessados podem se inscrever até 15 de m

Instituto Mamirauá está à procura de bolsistas para o estudo de práticas agrícolas na Amazônia

Instituto Mamirauá está à procura de bolsistas para o estudo de práticas agrícolas na Amazônia

As bolsas têm duração de até cinco anos e são indicadas à pesquisadores com disponibilidade de trabalhar na Amazônia Central, nas reservas onde o inst