Porto Velho (RO) quarta-feira, 29 de junho de 2022
×
Gente de Opinião

Amazônias - Gente de Opinião

Amazônias

CPT debate em Rondônia o limite da propriedade


CPT debate em Rondônia o limite da propriedade - Gente de Opinião
 Camponeses trabalham no Acampamento Raio de Sol, em Rondônia: mudança de módulo aumentaria oportunidade de melhor distribuição de terras na Amazônia Ocidental /DIVULGAÇÃO

 
 

XICO NERY e EPAMINONDAS HENK
Amazônias


GUAJARÁ-MIRIM e PORTO VELHO – A Comissão Pastoral da Terra (CPT) de Rondônia está concluindo uma série de reuniões setoriais para debater com sindicatos um limite para a propriedade da terra no Brasil. De acordo com coordenadores desse órgão ligado à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), já é hora de o Brasil pôr fim à histórica concentração fundiária.


Para tanto, bastaria incluir na Constituição Federal um novo inciso que assegure o limite das propriedades rurais em 35 módulos fiscais. Áreas maiores seriam automaticamente transformadas em terras públicas, propõe a CPT.


O tamanho do módulo fiscal varia. Pelo projeto, de região para região, após análise minuciosa definem-se várias regras, dentre as quais, a situação geográfica, a qualidade do solo, o relevo e as condições de acesso.


Em Rondônia, o módulo fiscal tem o tamanho de 60 hectares, ou seja, mede 600 metros de frente por mil de fundos. Pela proposta da CPT, a maior propriedade do Estado terá 2.100 hectares (35 x 60 hectares).


– É um terreno que tem três quilômetros de frente por sete de fundo. Não é pouca terra não! Estabelece o projeto difundido pelo órgão no País.


A CPT lembra que o Censo Agropecuário de 2006, feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística mostrou o retrato fundiário do Brasil naquele período. “O número de estabelecimentos agropecuários por grupos de área total chegou à marca de 5,1 milhões de propriedades e suas variáveis para mais ou para menos, sem a devida declaração de propriedade das áreas ocupadas.


Amazônias ouviu a Liga dos Camponeses Pobres (LCP). Líderes do movimento aqui, em Goiás e em Minas Gerais acreditam que o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária e a Justiça possuem esses números, “mas não agem como manda a Constituição".
 


 

CPT debate em Rondônia o limite da propriedade - Gente de Opinião
Camponeses pobres cobram o cumprimento da promessa de reforma agrária para a Fazenda Santa Elina e condenam eleições /DIVULGAÇÃO



Terras da União


Mencionam como exemplo, áreas de conflitos onde se comprova que as ocupações por camponeses, sem-terra e sem-teto acontecem na quase totalidade de terras de propriedade da União.


Quase a metade da propriedade no Brasil tem tamanho máximo de dez hectares, ou seja, de um terreno de 20 metros de frente por 500m de fundos. Os proprietários só ocupam 2,36% da área total. Enquanto menos de 1% das propriedades com tamanho igual ou maior que um terreno de dois quilômetros de frente por cinco de fundo, ocupam quase a metade dessa área.


A concentração de terras no País remonta ao período colonial. Passa pelo Império e hoje nos assegura ao Brasil, apesar da Constituição de 1988, o segundo lugar no ranking mundial em concentração de terras. E nas mãos de uma minoria, enquanto milhão de famílias de trabalhadores da agricultura familiar espreme-se em espaços confinados rurais e urbanos, apesar de também essas terras serem públicas – assinalam.
 

Mais Sobre Amazônias

Em evento internacional de meio-ambiente, governo do Amazonas provoca dono da Amazon e convida o mundo a conhecer e investir na Amazônia

Em evento internacional de meio-ambiente, governo do Amazonas provoca dono da Amazon e convida o mundo a conhecer e investir na Amazônia

Durante a abertura da Reunião Anual do GCF Task Force, em Manaus, nesta quinta-feira (17/03), o governador do Amazonas, Wilson Lima, provocou o empr

Amazônia:pPesquisadores investigam comportamento agressivo de botos

Amazônia:pPesquisadores investigam comportamento agressivo de botos

Um comportamento desconhecido, observado nos últimos anos por pesquisadores que estudam a vida dos botos cor-de-rosa, espécie tradicional da Amazôni

Amazônia: pesquisadores investigam comportamento agressivo de botos

Amazônia: pesquisadores investigam comportamento agressivo de botos

Um comportamento desconhecido, observado nos últimos anos por pesquisadores que estudam a vida dos botos cor-de-rosa, espécie tradicional da Amazôni

Sebrae lança novos editais do Inova Amazônia para atuação em sete estados brasileiros

Sebrae lança novos editais do Inova Amazônia para atuação em sete estados brasileiros

O Sebrae vai selecionar projetos para desenvolver negócios inovadores que fortaleçam a bioeconomia em sete estados que fazem parte do Bioma da Amazô