Porto Velho (RO) sábado, 21 de julho de 2018
×
Gente de Opinião

Amazônias - Gente de Opinião

Amazônias

Atraso nos estudos de impacto ambiental impede obras na BR-319


Atraso nos estudos de impacto ambiental impede obras na BR-319 - Gente de Opinião

A execução da obra de recuperação da BR-319, que liga Porto Velho a Manaus, depende da conclusão dos estudos de impacto ambiental e indígena, disseram nesta terça-feira (10) os participantes de audiência pública realizada pela Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI).

Segundo o senador Acir Gurgacz (PDT-RO), requerente da reunião, já foram gastos mais de R$ 100 milhões em estudos ambientais para viabilizar a repavimentação da rodovia.

“Esse valor é quase um terço dos US$ 150 milhões gastos na construção de toda a rodovia na década de 70, somente para estudos ambientais. Não podemos deixar essa região isolada nem podemos ficar gastando dinheiro sem um resultado efetivo para a população, que necessita dessa obra”, disse Acir Gurgacz.

A BR-319 tem 877,4 km de extensão e é a única ligação rodoviária entre Manaus e Porto Velho, e o restante do país. Para a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), que também requereu a audiência, o recapeamento da BR-319 é de extrema importância, porque o Amazonas não produz a maior parte dos alimentos que consome.

“Tudo, basicamente, que nós consumimos lá vem desses dois outros estados: Rondônia e Roraima. Em Roraima há uma BR asfaltada que liga o estado à Região Norte e a outros países. Essa BR passa por terras indígenas. E não temos ainda a recuperação da BR-319, que não passa por reserva indígena”, afirmou.

LICENCIAMENTO

De acordo com o diretor de Infraestrutura Ferroviária do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit), Charles Beniz, a execução das obras de pavimentação, manutenção e restauração da rodovia se divide em dois segmentos: licenciado e não licenciado.

“O segmento não licenciado, conhecido como ‘trecho do meio’, tem 405,7 km de extensão, que vai do km 250 ao km 655,7. Para a execução das obras, o Ibama exigiu a elaboração do estudo e do relatório de impacto ambiental”, afirmou.

Segundo Charles, o Ibama autorizou a execução da obra apenas do segmento licenciado, que compreende do Km 0 ao 177,80, do Km 655,7 ao 877,7 e do Km 177,8 ao 250.

IMPACTO AMBIENTAL

A diretora de Licenciamento Ambiental do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Larissa Carolina Amorim, informou que, em 2008, o órgão devolveu o estudo de impacto ambiental, pois considerou insuficiente para a análise. Desde então, nenhum outro estudo foi apresentado ao Ibama. Segundo ela os estudos estão sendo feitos por empresas de consultoria contratadas pelo Dnit.

CORTE DE GASTOS

Segundo o presidente substituto da Fundação Nacional do Índio (Funai), Rodrigo Paranhos Faleiro, a apresentação do estudo ambiental sobre os povos indígenas estava previsto para julho, porém, com a publicação da portaria que limita a concessão de diárias e passagens em 2017, as viagens para o estudo em terras indígenas ficaram comprometidas.

Mais Sobre Amazônias

Novo estudo indica o aumento do nível do mar após o colapso das plataformas de gelo da Antártida

Novo estudo indica o aumento do nível do mar após o colapso das plataformas de gelo da Antártida

Scientists have shown how much sea level would rise if Larsen C and George VI, Antarctic ice shelves at risk of collapse, were to break up.

População da Amazônia segue isolada - Por Marcelo Freire

População da Amazônia segue isolada - Por Marcelo Freire

Nesta semana, os participantes da última  audiência pública do primeiro semestre promovida pela Comissão de Infraestrutura (CI) do Senado Federal diss

Agricultores familiares de RO. Receberão apoio para regularização ambiental

Agricultores familiares de RO. Receberão apoio para regularização ambiental

Projeto Plantar Rondônia apoiará a recuperação de mais de 3000 hectares em propriedades da agricultura familiar

Um ano atrás, Ana Paula e um grupo de mulheres sonhavam na zona leste

Um ano atrás, Ana Paula e um grupo de mulheres sonhavam na zona leste

MONTEZUMA CRUZUm ano atrás elas chegaram a pé, de ônibus, bicicleta e de carona ao terreno da Paróquia São Tiago Maior (Bairro JK, zona leste de Porto