Porto Velho (RO) domingo, 22 de julho de 2018
×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

TEMER NÃO FEZ O DEVER DE CASA: Economistas preveem novos rebaixamentos do Brasil


Gente de Opinião

247 - O mercado já espera novos rebaixamentos do Brasil.

O rebaixamento da nota do Brasil é consequência da falta de atenção do governo para a situação fiscal do País no curto prazo, segundo avaliação da economista Monica de Bolle. Para ela, as ações do governo acabaram deteriorando ainda mais as contas públicas.

“A operação ‘Salva Temer’ (para que os parlamentares barrassem as investigações) levou a uma piora considerável da situação fiscal de curto prazo”, destaca.

"A situação fiscal do Brasil simplesmente não teve nenhuma melhora (desde que Temer assumiu). Teve até uma piora. Tendo em vista que veio da S&P, a agência com avaliação mais técnica, essa é uma avaliação bastante negativa da equipe econômica que todo mundo esperava que fizesse tanto pelas contas públicas."

As informações são de reportagem de Luciana Dyniewicz no Estado de S.Paulo.

Gente de Opinião

Mais Sobre Economia - Nacional

Governos estaduais deverão fechar ano com superávit acima da meta

Governos estaduais deverão fechar ano com superávit acima da meta

De acordo com a secretária executiva do Ministério da Fazenda, Ana Paula Vescovi, os governos locais, que deveriam fechar o ano com superávit primário

Crise de Temer faz Volkswagen dar férias coletivas

Crise de Temer faz Volkswagen dar férias coletivas

Com o país mergulhado em grave crise devido à política econômica e social do governo Temer, a montadora Volkswagen dará férias coletivas de um mês par

Ataque à indústria: petroleiras pedem redução de conteúdo local

Ataque à indústria: petroleiras pedem redução de conteúdo local

A indústria brasileira não é prioridade para o atual governo. Sinal disso é a flexibilização da política de conteúdo local. O jornal O Globo desta qua

Inadimplência atinge 63,6 milhões de consumidores no primeiro semestre

Inadimplência atinge 63,6 milhões de consumidores no primeiro semestre

 A inadimplência em todo o país atingiu 63,6 milhões de consumidores - 42% da população adulta brasileira -, ao final do primeiro semestre deste ano,