Porto Velho (RO) domingo, 22 de julho de 2018
×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

Temer cria maior dívida fiscal entre 40 países, aponta FMI


Gente de Opinião

247 - O Brasil será o emergente de maior dívida em 2019, superando Ucrânia e Egito, e ter endividamento perto de 100% do PIB em 2022, prevê o Fundo Monetário Internacional (FMI).

O relatório elaborado pela organização, chamado de "Monitor Fiscal", considera 40 países emergentes, aponta reportagem do Globo publicada nesta quinta-feira 12.

Neste ano, o indicador deverá subir de 78,3% para 91,1%, já fazendo com que pulemos para o posto de terceiro emergente mais endividado, diz ainda o documento.

O ministro da Fazenda do governo Temer, Henrique Meirelles, minimizou, no entanto, as previsões do FMI. Segundo ele, "o importante, no caso do Brasil, é análise da dívida líquida".

O histórico mostra que a dívida brasileira caiu com o governo Lula, se manteve estável com Dilma Rousseff e disparou com o golpe.

Mais Sobre Economia - Nacional

Governos estaduais deverão fechar ano com superávit acima da meta

Governos estaduais deverão fechar ano com superávit acima da meta

De acordo com a secretária executiva do Ministério da Fazenda, Ana Paula Vescovi, os governos locais, que deveriam fechar o ano com superávit primário

Crise de Temer faz Volkswagen dar férias coletivas

Crise de Temer faz Volkswagen dar férias coletivas

Com o país mergulhado em grave crise devido à política econômica e social do governo Temer, a montadora Volkswagen dará férias coletivas de um mês par

Ataque à indústria: petroleiras pedem redução de conteúdo local

Ataque à indústria: petroleiras pedem redução de conteúdo local

A indústria brasileira não é prioridade para o atual governo. Sinal disso é a flexibilização da política de conteúdo local. O jornal O Globo desta qua

Inadimplência atinge 63,6 milhões de consumidores no primeiro semestre

Inadimplência atinge 63,6 milhões de consumidores no primeiro semestre

 A inadimplência em todo o país atingiu 63,6 milhões de consumidores - 42% da população adulta brasileira -, ao final do primeiro semestre deste ano,