Porto Velho (RO) sábado, 21 de setembro de 2019
×
Gente de Opinião

Candiru Madeira

Seu Confúsio já saiu plantando mogno nas repartições!



Não é que seu Ribamar do DNIT diz que o projeto da BR-421 será “visto com bons olhos”! Claro. Sem bons olhos ninguém enxerga! Que seu Calmon Tabosa e seu Ítalo Cavalcante se cuidem. Seu Ribamar tá no caminho deles! Seu Confúsio já saiu plantando mogno nas repartições! No futuro, não faltará pau, ôps, digo madeira pra ninguém! Não confundam as coisas! Quando o gov. diz que vai tirar a saúde do chão não é, como falam, que vai levar os doentes pra andar de elevador! Não, senhor! E seu Ricardo Sá ainda não me ligou! Quem chegou por aqui foi seu Amir (desfi) Lando. A este, porém, não posso nem pedir um empreguinho. Ainda tá esperando seu gabinetinho de deputado, mas, diz que tá tudo bem encaminhado! Pra mim nem latido nem miado. Tô mesmo é vivendo de fiado e de conversa fiada. Do contrachequezinho ninguém me fala nada. Até no Procon não posso reclamar. Só agora o chefe vão nomear! Uma pra poder esperar! Com limão.

Fonte: Candiru do Madeira /Jornal Alto Madeira

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Candiru Madeira

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

Há dois tipos de pessoas que só fazem perguntas inconvenientes. São as crianças e os médicos. Um exemplo. O Zézinho pergunta pra mãe:- Mamãe! Por que

E o Rondinelli

E o Rondinelli Gonzalez, hein! Que cara legal! Só não se emenda. Colocou no Face que “Pra mim toda mulher é uma rainha... e o castelo dela é a cozinha

E dizem que a morte

E dizem que a morte, lá em Cuba, bateu na porta e Fidel Castro abriu. Quando viu a Horripilante com sua foice não teve dúvidas. Apontou o dedo na dire

Que alguém disse

Que alguém disse alguém disse ( e nem preciso dizer quem) que é preciso que tudo mude para nada mudar! E Rondônia e Porto Velho são o grande exemplo: