Porto Velho (RO) quarta-feira, 18 de setembro de 2019
×
Gente de Opinião

Candiru Madeira

È maldade demais



È maldade demais afirmarem que a Ideli Salvatti só por ir pro Ministério da Pesca é a Rainha da Tainha! Desce o ferro! Só queria mesmo as sobrinhas das emendas do Gim Argello! E receber diploma de doutor com a mesma pressa e louvor do Mercadante! Se bem que, em mercadinho, mini ou mercadão, o que vale é dinheiro na mão! Só em letra de música é que é vendaval. No bolso de qualquer é um é a melhor chave que existe! Como diz Falcão: “Dinheiro não é tudo, mas, é 100%”. Tanto que arranjam de tudo até documento. E seu Padilha, hein! O homem é uma verdadeira maravilha! Deu, mas, disse que não deu. Segundo ele, sua assinatura foi falsificada! Ò mancada! Sobe o ferro! Do jeito que a coisa vai se não lembrar rápido só resta dizer:-Vai pra casa, Padilha! E, agora, aparece no Wikileaks a história de que a Dirmona roubou o cofre do Ademar! Tem nada não. Já há uma boa justificação: Ladrão que rouba ladrão tem cem anos de perdão! Duas pela solução!

Fonte: Candiru do madeira / Jornal Alto Madeira

 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Candiru Madeira

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

Há dois tipos de pessoas que só fazem perguntas inconvenientes. São as crianças e os médicos. Um exemplo. O Zézinho pergunta pra mãe:- Mamãe! Por que

E o Rondinelli

E o Rondinelli Gonzalez, hein! Que cara legal! Só não se emenda. Colocou no Face que “Pra mim toda mulher é uma rainha... e o castelo dela é a cozinha

E dizem que a morte

E dizem que a morte, lá em Cuba, bateu na porta e Fidel Castro abriu. Quando viu a Horripilante com sua foice não teve dúvidas. Apontou o dedo na dire

Que alguém disse

Que alguém disse alguém disse ( e nem preciso dizer quem) que é preciso que tudo mude para nada mudar! E Rondônia e Porto Velho são o grande exemplo: