Porto Velho (RO) domingo, 15 de setembro de 2019
×
Gente de Opinião

Candiru Madeira

È maldade



È maldade dizer que a única transposição que houve, até agora, foi a de funcionários públicos pra fazer festa em Brasília! Nem há motivo para preocupação: o tema volta à na próxima eleição! Depois que lançaram a biografia da Geisy Arruda, a loura da Uniban, lançam, agora, a do cantor Fiuk! E dizem que é pretensão demais o deputado Tiziu editar os anais da CPI das usinas! Biografia é que não pode. A dele seria Tiziografia! Canta passarinho, canta! Tô vendendo o almoço e nem compro a janta! Maldade mesmo é dizer que foi só o Itamar da CUT assumir já se nota que o trânsito mudou completamente: aumentou o número de acidentes! Sou fã do seu Valdemir Caldas ainda mais se fica poético. É o caso de sua última crônica “Deixai toda esperança, ò vós que entrais”. Fiquei preocupado que fosse sobre quem seu Confúsio empregasse. Graças a Deus não era. É só o velho caos da saúde! Quem tiver que se cuide! Bebo meu remédio todo dia: uma meiota de Ypiocá!

Fonte: Candiru do Madeira / Jornal Alto Madeira

 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Candiru Madeira

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

A última coluna 'Candiru do Madeira' escrita por Sued Pinheiro

Há dois tipos de pessoas que só fazem perguntas inconvenientes. São as crianças e os médicos. Um exemplo. O Zézinho pergunta pra mãe:- Mamãe! Por que

E o Rondinelli

E o Rondinelli Gonzalez, hein! Que cara legal! Só não se emenda. Colocou no Face que “Pra mim toda mulher é uma rainha... e o castelo dela é a cozinha

E dizem que a morte

E dizem que a morte, lá em Cuba, bateu na porta e Fidel Castro abriu. Quando viu a Horripilante com sua foice não teve dúvidas. Apontou o dedo na dire

Que alguém disse

Que alguém disse alguém disse ( e nem preciso dizer quem) que é preciso que tudo mude para nada mudar! E Rondônia e Porto Velho são o grande exemplo: